Livraria Barata salta para o digital com a Páginas Amarelas

O novo coronavírus veio acentuar uma crise que a Livraria Barata já sentia e que obrigou a pensar em novas formas de chegar aos consumidores e de obter rendimentos. Uma das soluções encontradas passa pelo lançamento de uma loja online, que permite a qualquer pessoas comprar livros a este estabelecimento sem que seja necessária uma deslocação até à Avenida de Roma, em Lisboa.

Em parceria com a Páginas Amarelas, a Livraria Barata ganha nova vida na World Wide Web com a criação de um espaço onde é possível adquirir livros mas também ebooks. O objectivo é diversificar os canais de receita e contribuir para a estratégia comercial de sobrevivência e afirmação de uma das mais conhecidas livrarias da capital portuguesa.

«Este contributo é um dos factores decisivos para a continuidade e sucesso», garante mesmo Elsa Barata, responsável pelo estabelecimento. António Alegre, CEO da Páginas Amarelas, acrescenta que o catalizador para esta iniciativa foi o apelo do Presidente da República, que no final de Maio visitou a livraria e pediu aos cidadãos para ajudarem este espaço a continuar de portas abertas.

«E não temos dúvidas de que a cooperação em curso com a Livraria Barata poderá estender-se a mais instituições culturais históricas, fundamentais para a preservação da herança nacional do País e para a superação desta crise», adianta ainda António Alegre.

Nesse sentido, a Páginas Amarelas anuncia também que vai criar um pacote de impulso ao sector livreiro, que envolve a oferta dos serviços da agência de marketing durante um ano a livrarias que queiram avançar com a transição digital. A Páginas Amarelas vinca ainda que está disponível para colaborar com o Governo no sentido de pensar uma estratégia de apoio ao fortalecimento da presença digital das empresas nacionais.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...