Indústria do vestuário está disponível para produzir fatos de protecção

A ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção garante que um grupo de várias empresas de referência do sector têxtil está pronto para colocar os seus activos ao serviço da saúde pública. Caso as autoridades assim o entendam, estas companhias estão disponíveis para produzir equipamentos de protecção e contribuir para o combate ao COVID-19.

«A fileira têxtil e vestuário nacional tem capacidades técnicas inigualáveis no mundo e não poderíamos, num momento difícil como o actual, deixar de contribuir, dentro das nossas possibilidades, para este combate que é de todos nós», adianta César Araújo, presidente da ANIVEC.

A associação garante ainda que, além das empresas que já estão mobilizadas, outras companhias se poderão juntar ao movimento. Disponibilizam as suas competências e capacidades técnicas para garantir que não faltarão equipamentos de protecção individual e vestuário de trablho para os profissionais de saúde (médicos e enfermeiros, por exemplo).

Em comunicado, a ANIVEC justifica a iniciativa com o contexto excepcional que se vive no Mundo e em Portugal, na sequência da propagação do novo coronavírus. A associação espera poder contribuir para a mitigação do imapcto do COVID-19 na população portuguesa.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...