H&M abre redes sociais a organizações solidárias

Com um alcance de 120 milhões de pessoas, as redes sociais da H&M apresentam-se como um espaço privilegiado para passar mensagens. Consciente disso mesmo, a marca sueca de moda decidiu abrir as suas páginas a orgnizações de ajuda humanitária para que possam divulgar informações relevantes neste momento.

O obejctivo é amplificar mensagens sobre saúde e segurança, numa altura que se somam já mais de 430 mil casos de pessoas infectadas por COVID-19 em todo o mundo. Cruz Vermelha é uma das organizações que poderá beneficiar desta oferta da H&M, apelando aos internautas para que contribuam para o combate aos efeitos globais da pandemia.

«A situação actual afecta-nos a todos e, como muitas outras organizações, estamos a fazer o nosso melhor para ajudar. Abrir as nossas redes sociais e deixar que organizações de ajuda humanitária utilizem o nosso alcance é uma maneira de contribuir. Estamos em conversações com outras organizações e estamos também a avaliar a possibilidade de partilhar outros canais H&M», adianta Sara Spännar, head of Marketing and Communication na H&M.

Por cá, a Guess What também já tinha levado a cabo uma iniciativa semelhante. Na última semana, a agência de comunicação portuguesa colocou as suas redes sociais ao dispor de marcas que queiram divulgar produtos e serviços criados ou adaptados para responder ao contexto actual.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...