Há cada vez menos folhetos promocionais. El Corte Inglés lidera descida

Desde o início do ano até 19 de Abril (semana seguinte à Páscoa), as marcas de grande distribuição em Portugal publicaram um total de 247 folhetos promocionais. Trata-se de um recuo de 6,4% relativamente ao mesmo período de 2019, segundo dados do serviço Foliotrack da Marktest.

Em termos relativos, o El Corte Inglés foi a insígnia que mais reduziu a exposição em folheto, passando de nove para seis, o que representa uma quebra de 33%. O Minipreço Family, por seu turno, foi o que registou a maior subida (18%), passando de 16 para 19 folhetos, no período analisado.

Já numa análise em termos absolutos, o Continente é a insígnia que mais apostou em folhetos, tendo criado um total de 44. É, por isso, a cadeia de grande distribuição com maior peso neste formato: é responsável por 18% de todos os folhetos promocionais. Seguem-se o Lidl, Auchan, Eleclerc e Pingo Doce.

De acordo com a Marktest, a redução do número de folhetos promocionais tem sido evidente desde a semana 11 deste ano, ou seja, uma semana depois dos primeiros casos confirmados de COVID-19 em Portugal. A tendência foi apenas contrariada na semana a seguir à Páscoa, quando o número de comunicações deste tipo ultrapassou mesmo o de 2019.

Por categorias, Mercearia, Higiene Pessoal e Lacticínios são aquelas que mostram maiores níveis de investimento, ainda que mais fraco do que o habitual. Verifica-se, contudo, um aumento no número de inserções relativamente a cada uma delas, na última semana em análise.

Mercearia, por exemplo, teve 1.118 inserções, representando mais de um quarto do total de inserções em folheto. Desde o início do ano, tem um peso de 21,7% do total.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...