Greenpeace revela quais as marcas menos tóxicas

Inditex, H&M e Benetton são exemplos a seguir no que respeita a eliminação de químicos tóxicos na produção de vestuário e acessórios de moda. Quem o diz é a Greenpeace, num relatório em que analisa o progresso conquistado desde a implementação do programa “Detox My Fashion”, em 2011.

De acordo com a organização, os três grupos excederam as expectativas, assumindo o papel de líderes na mudança de paradigma. Em “Destination Zero – Seven Years of Detoxing the Clothiing Industry”, acrescenta que a maioria das restantes marcas associadas ao projecto também mostra uma evolução significativa. Adidas, C&A, Burberry, Levi’s, Mango, Primark, Nike e Valentino são algumas das outras insígnias que aceitaram desintoxicar os seus produtos – num total de 80 (equivalente a 15% da produção global de vestuário).

O objectivo é eliminar por completo a utilização de químicos tóxicos até 2020, assegurando a saúde dos rios e oceanos. Porém, nem tudo está nas mãos das marcas. Segundo é apontado no relatório, falta legislação que ajude a cumprir o objectivo, tanto na União Europeia como nos países onde os artigos são fabricados. Além disso, também é necessário que a indústria química seja mais clara e que disponibilize, de forma transparente, a composição de cada substância, desenvolvendo em simultâneo alternativas mais ecológicas e seguras.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...