Festival regressa a Alfama em Setembro

cgd_2

Carminho, Ricardo Ribeiro, Pedro Moutinho, Katia Guerreiro e Sara Correia são os primeiros nomes confirmados para a segunda edição do Festival de Fado que regressa a 19 e 20 de Setembro.

Nesses dois dias a Música no Coração, com o apoio da Caixa Geral de Depósitos, voltam a encher as ruas de um dos bairros mais típicos de Lisboa – Alfama, com 40 fadistas desde os consagrados às mais recentes revelações que actuarão em 10 diferentes palcos. Haverá espectáculos em espaços com maior ou menor capacidade como o Palco Caixa, Museu do Fado (Auditório e Restaurante), Largo das Alcaçarias, Igreja de São Miguel, Sociedade Boa União, Fonte do Poeta, Grupo Sportivo Adicense, Centro Cultural Dr. Magalhães Lima, Igreja de Santo Estevão.

«A aposta da Caixa Geral de Depósitos a este festival é a tradução do apoio da Caixa ao que de melhor Portugal tem, faz e exporta. É uma associação, efectiva, à cultura portuguesa, ao património cultural português por excelência, colocando a marca Caixa de forma definitiva num diferente patamar de transversalidade, de renovação e de inovação na esfera da sua associação à música», refere Francisco Viana, director de Comunicação e Marca da Caixa.

À semelhança do que aconteceu no ano passado o bilhete único (já à venda por 35 euros) deverá ser trocado por pulseira nas bilheteiras do festival no Museu do Fado, a partir de dia 18 de Setembro. A pulseira dará acesso a todos os espaços do Festival até ao limite de lotação de cada um. Os clientes da CGD terão 10% de desconto nos bilhetes adquiridos com qualquer cartão de débito ou crédito, na bilheteira do Museu do Fado.

Francisco Viana, director de Comunicação e Marca, explicou à Marketeer os planos da marca para este evento.

viana1

Marketeer: A Caixa renovou o naming sponsor do Festival Caixa Alfama. Apesar de estar presente como patrocinador em vários outros festivais, este é o único em que a Caixa é naming sponsor. Porquê?

 

Francisco Viana: Quem tem o naming sponsor tem possibilidade de fazer mais. Para além de gerar awareness para a marca temos a possibilidade de tratar os clientes de forma diferenciada e inovadora, mantê-los satisfeitos e com isso construir relações duradouras. Mas a Caixa quis abraçar este projecto desde início porque, além de apresentar um conceito inovador, é o único festival totalmente português e a portugalidade faz parte do ADN da marca Caixa Geral de Depósitos. Mais nenhuma marca podia estar associada a este festival.

E o Festival Caixa Alfama superou as nossas expectativas, já de si elevadas. Mais de 10 mil pessoas descobriram uma outra Alfama, que a não a dos Santos Populares. O ambiente que se gera é único e a Caixa tem a possibilidade de mostrar que dar a volta também é proporcionar momentos em família e desfrutar de um festival de fado, que esperamos que venha a ser uma parceria de sucesso e por muitos mais anos.

Marketeer: De que forma vai a Caixa activar o seu patrocínio antes do evento?

Francisco Viana: Como habitualmente, a Caixa irá activar através de todos os seus canais e plataformas, procurando sempre inovar. Descontos na aquisição de bilhetes para clientes Caixa e oferta de bilhetes em passatempos no perfil A Nossa Caixa são algumas das formas previstas.

Em breve teremos mais novidades.

Marketeer: E durante os dias do evento, o que se pode esperar da Caixa?

Francisco Viana: Ainda é prematuro falar disso. Não podemos revelar ainda, no entanto o Palco Caixa, bem como um espaço lounge exclusivo para convidados são já uma certeza.

Marketeer: Este evento tem moldes diferentes dos outros festivais de Verão a que a Caixa se associa. Qual o público-alvo a que a Caixa acredita chegar com o patrocínio deste evento em específico?

Francisco Viana: Com base nos dados percecionados na experiência do ano passado, acreditamos que se trata de um público transversal, na medida em que o Fado ganhou uma nova vitalidade e são vários os novos talentos que se têm revelado neste género musical, conferindo-lhe um novo entusiasmo de público. É um género musical muito heterogéneo, apreciado por diversas idades. Trata-se, pois, de um público mais abrangente, heterogéneo e jovem.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...