Faculdades de Economia e Gestão mudam imagem

universidades_Católica – Lisbon School of Business and Economics é a nova identidade da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa, assumida de forma a consolidar o posicionamento de internacionalização que a escola tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos. Sob a assinatura “Leading today. Inspiring tomorrow”, António Horta Osório, actual presidente do Lloyds Bank, e Filipe de Botton, CEO da Logoplaste, serão dois dos rostos de um campanha de comunicação que reunirá antigos e actuais alunos da, agora, School of Business and Economics, e que será lançada no próximo Sábado, dia 19, no semanário Expresso. A campanha, criada pela McCann Erickson, estará patente de Fevereiro a Maio e, apesar de reforçar a nova identidade, incide antes na «transmissão do testemunho daqueles que passaram ou fazem ainda parte da instituição», refere Joana Santos Silva, directora de marketing da Católica – Lisbon School of Business and Economics. Esta escola figura, pelo quarto ano consecutivo, no ranking das Top European Business Schools do Financial Times, tendo sido ainda reconhecida com o Triple Crown, um conjunto de acredtiações atribuídas por três agências de referência internacional na certificação de Business Schools.
Passo semelhante foi dado pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, que responde agora pela designação de Nova School of Business and Economics. A My Brand foi a agência responsável pela criação da nova imagem gráfica, que tem por intuito equilibrar a tradição da instituição com os valores de dinamismo, determinação e inovação, tendo a internacionalização por horizonte. A renovada imagem vive de duas identidades, espelhadas em dois quadrados. Um, a vermelho, ostenta a referência à Nova, e no azul pode ser encontrada a sua assinatura, “Shaping powerful minds”. Em 2010 a Nova conquistou a acreditação Triple Crown, à semelhança da Católica- Lisbon School of Business and Economics, e viu dois dos seus mestrados serem reconhecidos no ranking internacional do Financial Times, entre outros galardões.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...