Facebook entra no mundo da realidade virtual

i9v_PJWXAE6k_rsO Facebook anunciou que chegou a acordo para adquirir a startup norte-americana Oculus VR, especializada em tencologia de realidade virtual, por dois mil milhões de dólares (cerca de 1,45 mil milhões de euros).

A Oculus VR é conhecida por ter desenvolvido os Oculus Rift, um aparelho de realidade virtual para gaming, que foi apresentado há cerca de dois anos no website de crowdfunding Kickstarter, tendo arrecadado o valor mais elevado de sempre naquela plataforma (dois milhões de dólares). O negócio irá envolver o pagamento de 400 milhões de dólares em dinheiro e 23,1 milhões em acções do Facebook, mas poderá incluir o pagamento adicional de 300 milhões de dólares caso a startup atinja determinados objectivos.

Com esta operação, o Facebook pretende apostar noutras plataformas e experiências de entretenimento que vão além dos dispositivos móveis. «Ainda temos muito para fazer nos dispositivos móveis, mas neste momento sentimos que estamos numa posição privilegiada em que podemos começar a focar-nos nas plataformas que virão a seguir para permitir experiências ainda mais úteis, divertidas e pessoais», sublinha Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, num post publicado na rede social, onde anunciou o negócio.

De acordo com o responsável, o objectivo passa, numa primeira fase, por ajudar a empresa – que vai continuar sediada em Irvine, Califórnia – a colocar os Oculus Rift no mercado. De acordo com o site especializado em tecnologia Mashable, ainda que a Oculus VR nunca tenha prometido uma versão comercial dos óculos, mais de 75 mil developers já encomendaram os “developer kits” para começarem a trabalhar nos seus próprios projectos.

«Mas isto será apenas o começo. Depois dos jogos, vamos tornar a Oculus numa plataforma para muito mais experiências. Imagine que desfruta de um lugar no estádio onde decorre um jogo desportivo, que estuda numa sala com estudantes e professores de todo o mundo ou que tem uma consulta com o seu médico cara a cara – apenas por colocar os óculos na sua casa», projecta Mark Zuckerberg. «Estes são apenas alguns dos potenciais usos. Ao trabalhar com developers e parceiros da indústria, juntos podemos construir muito mais. Um dia, acreditamos que este tipo de realidade aumentada, verdadeiramente imersiva, vai tornar-se parte do dia-a-dia de milhares de milhões de pessoas», conclui.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift