Events by tlc funde-se com brasileira Case Imagine

A portuguesa Events by TLC fundiu-se com a empresa brasileira Case Imagine. Os responsáveis do grupo acreditam que com esta fusão passam a ser um dos principais players no bloco económico ibero-americano, e em Portugal um dos principais players na área dos eventos e de activação de marca. Defendem ainda que são “o único grupo com este posicionamento a nível internacional – agência local com competências globais”.

Com este processo de fusão o grupo representará um volume global de negócios de 40 milhões de euros, com sete escritórios: São Paulo, Rio de Janeiro, Flórida, Barcelona, Lisboa, Porto e Madrid. As duas empresas esperam alcançar um crescimento de 10% junto dos seus clientes com cross-selling, no final do primeiro ano da fusão. Ao nível de recursos humanos o grupo passa a ter 150 colaboradores.

Diogo Assis assume a liderança do novo grupo e Carlos Arruda, responsável da Case Imagine, passa a ser o CEO do grupo nas Américas.

A Marketeer falou com o CEO do grupo events by tlc/ Case Imagine, Diogo Assis, sobre esta fusão.

Qual a importância da fusão da events by tlc com a Case Imagine?

Esta fusão resulta na maior operação desde o início de ambas as empresas e torna-nos num player muito fortalecido com competências inovadoras e tecnológicas nomeadamente em Live Marketing. A events by tlc fortalece a sua posição no “Experience Incoming” e na produção de eventos corporativos nos mercados português, espanhol e brasileiro, e chega a novos, como é o caso da Flórida. Esta fusão resulta de uma evolução do mercado e das crescentes expectativas dos nossos clientes. O nosso core é o cliente e a constante preocupação em sermos relevantes em tudo o que fazemos, e este juntar de forças é a prova que investimos e evoluímos. O nosso objectivo é sermos a agência de excelência no mercado ibero-americano, com competências globais actuando localmente.

Em termos da estrutura das várias unidades, o que muda?

No caso da Case, as suas cinco marcas – Case Live, Case Travel, Case Content, Case Promo e Case Digital – passarão apenas a uma, a Case Imagine, integrando também a disciplina sports até então gerida pela marca sports by tlc. A Case passa a operar também em Espanha e Portugal, como uma agência de eventos corporativos e activação de marca contemplando produção e logística, gestão de conteúdos, vídeo marketing, web & social.

Actualmente, quais os principais clientes de cada uma das empresas?

Por motivos contratuais podemos apenas referir dados de todo o grupo. Em termos globais temos clientes de diversos sectores como o Farmacêutico, Financeiro, Automóvel, TIC, Grande Consumo, entre outros. Temos tido o privilégio de poder desenvolver projectos e estar ao lado de clientes como Unilever, KPMG, Microsoft, General Motors, HSBC, Roche, Adidas.

No caso da events by tlc, especializamo-nos na gestão de eventos para clientes internacionais (incoming) e alargamos operações à Florida, grande centro de decisões e eventos do eixo ibero-americano.

No entanto, entre as duas empresas partilhamos a cultura de excelência e de inovação, valores semelhantes e visão estratégica de negócio, o que facilita todo o processo de integração que internamente já começou a acontecer com muita naturalidade.

O que representa, em termos societários, esta fusão? Qual o peso com que cada um dos sócios fica na nova estrutura?

Por motivos contratuais não podemos revelar estes dados, mas trata-se de uma fusão onde os sócios passam a partilhar a responsabilidade do grupo e mantêm-se ambos activos na direcção e gestão da empresa. Neste caso, eu (Diogo Assis) até aqui CEO da events by tlc assumo o cargo de CEO do grupo e o Carlos Arruda, anteriormente CEO da Case Imagine, é agora CEO do grupo para as Américas.

Qual o actual volume de negócios de cada uma das empresas?

Por motivos contratuais podemos apenas referir dados de todo o grupo que passa a registar um volume de negócios de 40 milhões de euros.

Após a fusão, e ao fim do primeiro ano, qual a previsão de volume de negócios da empresa resultante da fusão?

Esperamos crescer 10% no curto prazo por conta da complementaridade de ambas as empresas e via o cross-selling de todos os serviços de comunicação que oferecemos.

Em termos de mercados, quais os pesos expectáveis de cada um dos países em que a empresa estará presente para o volume de negócios ao final de um ano?

Por motivos contratuais não podemos revelar estes dados.

Em que novos mercados entrará a empresa a um ano?

Com esta operação, o grupo passa a ter sete escritórios em regiões distintas como Lisboa, Porto, Madrid, Barcelona, São Paulo, Rio de Janeiro e Flórida. Antes de pensarmos em novos mercados, pensamos sobretudo em reforçar as nossas operações e clientes nos vários mercados em que estamos presentes, sempre atentos a oportunidades de crescimento dentro do nosso posicionamento de mercado ibero-americano.

E depois da entrada na Florida, que outros mercados poderão contar com a entrada da empresa?

A Flórida para nós tem uma importância estratégica por ser o centro de decisão e HQ para a América Latina de muitas empresas Fortune 500. Actuaremos com as duas marcas na Flórida, para a área de incoming com a events by tlc e na produção de eventos e activação de marca com a Case Imagine.

Qual o actual número de colaboradores das empresas e que mudanças com a fusão?

O grupo passa a ter uma equipa de 150 colaboradores. Com a fusão, pretendemos ainda acelerar as oportunidades de intercâmbio, melhores práticas, gestão de talento e formação.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...