#éparameninas: movimento quer mostrar que o futebol também se faz no feminino

A hashtag #éparameninas chega às redes sociais como mais do que apenas uma etiqueta. Criado pela Euronics, patrocinador da UEFA Women’s Football, o movimento tem como missão mudar comportamentos sociais, valorizar o que já foi conquistado e despertar para o muito que ainda há para conquistar no futebol feminino – e não só. A estratégia ficou a cargo da agência Bastarda, responsável por toda a comunicação online e offline da marca.

«Esta iniciativa procura reflectir sobre certos estereótipos que, na realidade, são construções sociais. Ao mesmo tempo, pretendemos quebrar a habitual associação do ‘ser menina’ a ‘não ser capaz’ ou ‘ser inferior’ e passar a mensagem que ‘ser menina’ não deve ter uma conotação negativa ou de vulnerabilidade», explica, em comunicado, David Beijoco, CEO da Bastarda. «O movimento foi construído com um propósito transversal, que nos permite atingir diferentes tipos de público, estejam eles ligados ou não a uma modalidade desportiva. #éparameninas surgiu da nossa vontade em virar o jogo: é para meninas sim, porque elas representam força, resiliência e conquista!»

Para assinalar a iniciativa foi criado um perfil de Instagram (@eparameninas), que contou com uma grande adesão em apenas dois dias, de acordo com a Euronics. Em simultâneo, o movimento foi reforçado com leds publicitários com a mensagem “Futebol #éparameninas” nos últimos jogos da 1.ª Liga de Futebol, como Porto-Benfica e Sporting-Casa Pia.




loading...
Artigos relacionados

Comentários estão fechados.