É vítima de violência e não sabe a quem ligar? Esta campanha esclarece

Ficar em casa é uma das recomendações de prevenção e segurança relativamente ao novo coronavírus. Mas, para algumas pessoas, ficar em casa não significa que que estão mais seguras, tal como lembra o mais recente anúncio do canal Crime + Investigation contra violência de género durante o período de isolamento.

Em parceria com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), o canal lembra que há formas de pedir apoio – mesmo que à distância. É o caso da linha gratuita 116 006, disponível durante os dias úteis das 9h às 21h. Também é possível entrar em contacto com a associação através do Messenger, por exemplo, ou do Skype (apav_lav).

Além de divulgar os canais de apoio, o spot visa sensibilizar a população para o agravamento do problema da violência de género durante a quarentena e chega na sequência da campanha #StopàViolênciaContraAsMulheres.

Com divulgação no próprio Crime + Investigation e nas redes sociais, o novo spot tem por base o contexto excepcional em que vivemos, tal como lembra Carolina Godayol, directora-geral do The History Channel Ibéria. A situação confinamento «requer também uma atenção reforçada aos grupos de maior risco, que enfrentam não um, mas dois inimigos silenciosos».

Segundo a responsável, as mulheres vítimas de violência doméstica estão mais desprotegidas. Por isso mesmo, o Crime + Investigation sentiu «uma responsabilidade acrescida na sensibilização deste assunto junto da sociedade, para que possamos dar força às mulheres para não terem medo de apresentar denúncias dos seus agressores».

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...