CV&A fecha contrato de licença de utilização de clipping

A CV&A fechou um contrato com a Visapress tendo em vista o pagamento de direitos de autor referentes a artigos e produtos publicados por meios de comunicação social que a consultora de comunicação utilize. A licença obtida diz respeito à utilização destes conteúdos tanto para consumo próprio como para distribuição pelos seus clientes.

Em comunicado, a CV&A afirma ser a “primeira consultora de comunicação em Portugal licenciada para a utilização e distribuição de conteúdos editoriais reproduzidos (clipping)”. Recorde-se que, de acordo com a legislação em vigor, qualquer entidade que utilize conteúdo de imprensa para a sua actividade tem de respeitar os direitos de autor.

O cumprimento da lei pode envolver, como neste caso, um contrato com a Visapress, entidade gestora do conteúdo patrimonial dos direitos de autor de meios de comunicação social.

«Tomámos a iniciativa de contactar a Visapress para pôr fim a uma situação da qual tínhamos consciência de que não podia continuar. Os jornais e os jornalistas produzem conteúdo que é uma mais-valia para a sociedade e esse conteúdo não pode ser distribuído gratuitamente quando as empresas de comunicação social incorrem num custo elevado para que todos estejamos informados com rigor e qualidade», afirma António Cunha Vaz, presidente da CV&A.

O responsável considera que os jornalistas e os órgãos de comunicação social «têm sido vítimas de um crime por utilização abusiva dos conteúdos por si produzidos e veiculados».

António Cunha Vaz está confiante de que este poderá ser um exemplo a seguir pelo mercado. Acredita que «o sector está sensível a esta questão e que outras empresas seguirão certamente o mesmo caminho».

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...