COVID-19 faz disparar número de espectadores de TV em Portugal

Na última semana (16 a 22 de Março), o consumo de televisão em Portugal subiu 28% em relação à semana anterior. Até ao momento, foi a semana com mais audiências de 2020, o que leva a UniversalMcCann a concluir que o surto do COVID-19 e as recomendações do Governo para que os portugueses fiquem em casa estão a surtir efeito.

Dados disponibilizados pela agência de meios do Grupo IPG Mediabrands mostram que mais de 620 mil espectadores assistiram televisão, em média, na última semana. No mesmo período, verificou-se um aumento generalizado de audiências em todas as tipologias de canais (tanto em sinal aberto como pagos).

Os domingos (15 e 22) foram os dias com mais audiências, mas nota-se um crescimento mais transversal a partir do momento em que as escolas encerraram. No passado dia 22, verificou-se um pico de 3,1 milhões de telespectadores, o máximo do ano até ao momento, de acordo com a agência.

A SIC continua a ser o canal mais visto, embora apresente uma quebra ligeira de 0,9% em termos de share, entre a semana 11 e a semana 12, situando-se nos 19,2%. A audiência média, por seu turno, atingiu os 541 mil espectadores (mais 101 mil).

Entre os generalistas, a RTP1 foi o segundo canal mais visto da última semana, conseguindo captar a preferência de 351 mil espectadores (mais 82 mil) e um share de 12,5%. A TVI aparece logo a seguir, com 349 mil espectadores (mais 42 mil) e um share de 12,4%.

Como seria expectável, dada a situação actual, os canais informativos registam máximos do ano, com destaque para a CMTV: o canal da Cofina alcançou uma audiência média de 172 ml espectadores, mais 53 mil do que na semana anterior, e um share de 6,1%. A SIC Notícias aparece logo depois com 117 mil de audiência média e 4,2% de share.

No campo dos informativos, a TVI24 é o terceiro canal preferido dos portugueses, com 71 mil espectadores e 2,5% de share, à frente da RTP3 (29 mil espectadores e 1% de share).

Quanto aos canais de Pay Tv, a análise da UM revela que mantêm uma curva de audiências estável, o que contrasta com os canais FTA – os generalistas lideram as audiências nos períodos da hora de almoço e prime time, ou seja, quando são transmitidos os noticiários.

Estado de emergência cola portugueses à televisão

O discurso durante o qual Marcelo Rebelo de Sousa anunciou que Portugal entraria em estado de emergência durante 15 dias foi acompanhado por mais de 5,1 milhões de espectadores. O anúncio teve lugar na passada quarta-feira, dia 18 de Março, e obteve 85% de share: isto significa que 85% dos portugueses que estavam a ver televisão naquele momento escolheram acompanhar o Presidente da República.

Em termos de programas, o Jornal da Noite da SIC em que Rodrigo Guedes de Carvalho entrevistou o primeiro-ministro António Costa foi o mais visto da última semana (37,1% de share). Seguem-se “Isto é gozar com quem trabalha” também da SIC (34%) e o Jornal da Noite em que foram anunciadas as medidas para o estado de emergência (32,6%). Os primeiro sete lugares são ocupados por programas da SIC, maioritariamente o noticiário das 20h.

Na oitava posição aparece o Jornal das 8 da TVI referente ao estado de emergência, à frente do telejornal da RTP1 em que Marcelo Rebelo de Sousa fez o mesmo anúncio. Em 10.º lugar, voltamos a encotnrar a SIC, mas, desta vez, com o programa “Alta Definição”.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...