Coronavírus representa um «recomeço para o marketing»

Leanne Cutts é directora de Marketing de um dos maiores bancos a nível mundial e, ao contrário do que acreditam alguns profissionais, não considera que o Marketing enquanto disciplina irá mudar a 100%. No entanto, vê no novo coronavírus uma oportunidade de amplificar o seu papel, uma espécie de «momento de recomeço».

Presente no evento Cannes Lions Live, a head of Marketing do banco britânico HSBC afirmou que o Marketing não voltará a ser como era antes da pandemia de COVID-19. Pelo contrário, está certa de que está em cima da mesa a possibilidade de mudar abordagens, métodos de trabalho e soluções de construção de marca e envolvimento com os clientes.

«Este é realmente um momento de recomeço para o nosso papel enquanto marketeers, enquanto guardiões das nossas marcas», disse Leanne Cutts. Em declarações reportadas pelo site Marketing Week, a profissional sublinhou ainda que este também é um momento de viragem para as equipas e organizações no geral. «Vai ser fascinante estar no centro de tudo isso e liderar essa mudanças nas nossas organizações.»

A responsável do HSBC acredita que a pandemia poderá funcionar como uma espécie de catapulta para os profissionais de Marketing, que passarão a ser cada vez mais úteis e relevantes para as comunidades em que estão inseridos e para as quais trabalham.

No caso concreto do HSBC, Leanne Cutts explica que o novo coronavírus mostrou que o banco é capaz de se adaptar rapdidamente, tendo adoptado o teletrabalho, por exemplo. Conta também que houve mais contacto digital e virtual com os clientes ao longo dos últimos três meses do que nos últimos três anos.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...