Coronavírus impulsiona streaming: Netflix soma mais 15 milhões de subscritores

Ao contrário de muitos negócios que estão a sofrer com o novo coronavírus, a Netflix parece estar entre os poucos que beneficiam das circunstâncias a que a pandemia obrigou – ao lado dos serviços de entregas ao domicílio, por exemplo. No primeiro trimestre deste ano, a plataforma de streaming somou 15,8 milhões de novos subscritores: mais do dobro dos 7,2 milhões esperados. Trata-se de um crescimento de 22% face ao trimestre homólogo de 2019 e permite à Netflix contar, actualmente, com uma base total de 182 milhões de subscritores a nível mundial.

Quanto aos resultados financeiros, a Netflix adianta que a receita trimestral atingiu os 5,77 mil milhões de dólares, o que compara com os 5,76 mil milhões previstos. Numa carta aberta aos accionistas, a empresa dá conta dos bons números que atingiu, mas alerta que o futuro poderá não ser tão brilhante.

Segundo a Netflix, parte do crescimento derivado do cenário de quarentena e isolamento deverá revelar-se apenas um adiantamento do crescimento já esperado para os próximos anos. Quer isto dizer que, em vez de crescer continuadamente ao longo do tempo, a Netflix poderá experienciar agora um grande salto e, depois, um crescimento significativamente mais lento do que o planeado assim que os vários países onde está presente começarem a suavizar as restrições.

No mesmo sentido, a Netflix prevê que o tempo de visualização e o aumento de novos subscritores desacelere à medida que o confinamento termina. «Na Netflix, estamos conscientes de que somos afortunados por ter um serviço que é ainda mais importante para as pessoas fechadas em casa e que podemos operar remotamente com mínima disrupção no cruto a médio prazo”, lê-se ainda na carta.

A questão mais complicada poderia ser a das produções próprias a que a plataforma de streaming habituou o seu público. Em grande parte, os trabalhos estão em pausa, explica a Netflix, mas garante que existem muitos conteúdos prontos a serem lançados ou em fase de pós-produção. Por isso mesmo, espera continuar a apresentar novos títulos ao longo deste ano e do próximo.

Mais conteúdos educativos

Ainda sobre o tema conteúdos, a Netflix decidiu responder aos pedidos que diz ter recebido de professores no sentido de disponibilizar mais documentários. Através do canal norte-americano da Netflix no YouTube, a plataforma está a disponibilizar uma selecção de conteúdos educativos a que qualquer internauta – nomeadamente, estudantes – poderão ter acesso, indepentemente de terem conta na Netflix ou não.

Para já, os documentários estão disponível somente em inglês, mas a Netflix compromete-se a adicionar legendas em mais de uma dezena de idiomas já esta semana.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...