CA Seguros: O melhor ano de sempre

MARKETEER CONTENTS

A CA Seguros começou 2020 de parabéns, celebrando o número redondo de 25 anos no mercado português. E o começo desta década é iniciado da melhor forma, uma vez que os resultados alcançados em 2019 são bastante motivadores.

Fazendo um balanço do último ano, João Pedro Borges, presidente do Conselho de Administração Executivo da CA Seguros, resume a performance da seguradora de forma sucinta.

«Numa frase, 2019 foi o nosso melhor ano de sempre! Beneficiámos de uma dinâmica comercial crescente das Caixas Agrícolas, que se traduziu num novo valor de produção – o mais elevado de sempre -, e que contribuiu para que a nossa carteira de seguros e de clientes tenha crescido na casa dos dois dígitos, em termos percentuais. Conseguimos reduzir a sinistralidade global, incluindo nos ramos Automóvel e Acidentes de Trabalho, em que se tem verificado que os prémios praticados no mercado, nos últimos anos, tendem a ser insuficientes para a cobertura dos custos.

Continuamos a crescer nos produtos com melhores margens associadas e aumentámos o valor criado para o Grupo Crédito Agrícola. Praticamente todos os indicadores económicos e financeiros foram melhores, em 2019», exulta o presidente.

Actualmente, a CA Seguros regista 400 mil clientes com apólices em vigor, o que significa uma taxa de penetração de 38% na base de clientes do Crédito Agrícola. «Este número tem vindo a aumentar todos os anos. Acreditamos que existe ainda um enorme potencial de crescimento, porque é possível aumentar bastante essa taxa de penetração, como é evidenciado por algumas das Caixas Agrícolas locais, onde já temos taxas de penetração acima dos 50% e, num caso, claramente acima dos 60%», afirma o presidente do Conselho de Administração Executivo.

Em 2019, apesar de não terem sido lançados produtos, houve uma aposta na melhoria dos principais produtos que compõem a oferta da CA Seguros. «Destacamos as melhorias que implementámos nos produtos relacionados com a saúde e que são cada vez mais procurados pelos nossos clientes, CA CliniCard e CA Saúde, incluindo novas coberturas e serviços », conta João Pedro Borges.

No final do ano, foram introduzidas novas regras de tarifação no seguro Automóvel, com o objectivo de melhorar a adequação dos prémios aos riscos, sendo expectável que contribua para optimizar a qualidade global dos riscos aceites. Os canais digitais do Grupo CA têm sido os meios privilegiados pela seguradora para comunicar e reforçar as mensagens junto dos públicos externo e interno.

No entanto, a CA Seguros tem ainda uma pequena presença nos meios tradicionais, chegando assim àquele público ainda resistente aos novos meios tecnológicos e de comunicação. A nível interno, e sendo as Agências do Crédito Agrícola o canal de distribuição exclusivo da CA Seguros, a companhia recorre à intranet, newsletters e promoção de encontros de colaboradores para comunicar a estratégia da empresa, transmitir objectivos, informar sobre os resultados e promover a troca de experiências.

Em breve, será lançada a app para smartphones CA Seguros, que incluirá diversas funcionalidades, nomeadamente a possibilidade de solicitar assistência ou participar sinistros. «Iremos apostar na dinamização desta app, que será um canal importante de ligação com os nossos clientes. Prevemos ainda lançar um novo produto, bem como a inclusão de telemedicina nos nossos produtos de saúde», antevê o presidente.

Um ano de prémios Reflectindo a preocupação e foco na qualidade, a CA Seguros foi reconhecida, em 2019, pelo segundo ano consecutivo, como empresa líder na Satisfação dos Clientes de Seguros Não Vida, no estudo European Consumer Satisfaction Index Portugal. «E, neste contexto, é importante também destacar que a Crédito Agrícola Vida foi reconhecida como empresa líder nos Seguros de Vida, e o próprio Crédito Agrícola foi distinguido como empresa líder no sector da banca.

Estas distinções são uma evidência clara que temos os clientes mais satisfeitos, no conjunto das instituições que operam no sector financeiro», afirma o responsável. Ainda no último ano, a companhia recebeu múltiplas distinções pela gestão dos recursos humanos. Foi distinguida pelo Índice de Excelência 2018, enquanto empresa líder no sector da banca, seguros e serviços financeiros, e alcançou o Top 10 das empresas de média dimensão.

Voltou ainda a ser distinguida como a Melhor Empresa para Trabalhar no sector da Banca, Seguros e Serviços Financeiros, na edição de 2019 do estudo MEPT (Melhores Empresas para Trabalhar). A celebrar 25 anos de actividade, o ponto alto aconteceu no último ano, em Dezembro, com a realização de um jantar em que participaram praticamente todos os colaboradores da companhia, representantes das Caixas Agrícolas e da Caixa Central e os principais parceiros. «Nesse jantar, foram apresentados filmes temáticos sobre a CA Seguros, incidindo incidindo na sua história e perspectivando o nosso futuro.

Em todos os filmes, contámos com a participação dos nossos colaboradores, que tiveram assim um papel muito activo nesta celebração. Sem o seu empenho, sem a sua motivação e alinhamento, a companhia não teria alcançado o grau de sucesso que tem hoje, e este evento foi mais uma oportunidade para reconhecermos isso», afirma o responsável.

25 anos de proximidade

Em 1995, a CA Seguros surgia no mercado, fruto da vontade do Crédito Agrícola em aproveitar a sua extensa rede de agências bancárias para alargar os serviços prestados aos seus clientes e associados, disponibilizando soluções de protecção e segurança.

A companhia foi criada com a designação Rural Seguros, a qual seria mais tarde alterada para Crédito Agrícola Seguros, reflectindo o modelo de distribuição, exclusivamente bancasseguros, através das agências do Crédito Agrícola. «No início da nossa actividade, tivemos um importante papel no desenvolvimento dos seguros agrícolas em Portugal, em especial o seguro de colheitas, embora a nossa oferta sempre tenha sido muito completa, abrangendo praticamente todos os tipos de seguros não vida», afirma João Pedro Borges.

Ao longo deste percurso, a CA Seguros tem efectuado elevados investimentos em sistemas de informação. Dada a reduzida dimensão da companhia, apenas em 2004 foi possível atingir o break-even. «Mas, a partir desse ano, apresentámos resultados positivos todos os anos e construímos uma posição financeira e de solvência bastante confortável », refere João Pedro Borges.

Outro marco relevante remonta a 2011, quando obteve a certificação de qualidade dos seus sistemas de gestão. «A mesma permitiu reforçar a cultura de qualidade e de melhoria contínua, que se traduz em elevados níveis de satisfação, e de recomendação, por parte dos nossos clientes», termina João Pedro Borges.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...