C&A lança projecto-piloto em Portugal para ser mais sustentável

A C&A calculou todas as emissões de dióxido de carbono geradas enquanto empresa e desenhou um plano no sentido de compensar o impacto das suas 115 lojas na Península Ibérica. Sistemas de aquecimento, electricidade consumida e trajectos de deslocação dos funcionários para o local de trabalho foram alguns dos aspectos considerados.

Segundo Domingos Esteves, director-geral da C&A para a Península Ibérica, trata-se de um projecto-piloto lançado em Portugal e Espanha no âmbito da estratégia global de sustentabilidade da companhia. «A C&A assumiu o compromisso de tornar a sustentabilidade a norma. Não apenas através das colecções, que oferecem produtos amigos do ambiente, mas também através da cadeia de valor e das operações», explica o responsável em comunicado.

O projecto conta com a Climate Partner como parceira e permitirá transformar campos degradados da cidade de Guarané, no Uruguai, em florestas. Trata-se de um processo de reflorestação com verificação VCS e que está validado pela Rainforest. O objectivo é acumular sete milhões de toneladas de CO2 durante todo o projecto, ou seja, mais de 127 mil toneladas por ano.

O caminho da C&A em direcção a um negócio mais verde envolve ainda a redução em 30% das emissões de fases de efeito de estufa na cadeia de produção, até 2030. Neste caso, a aposta vai para materiais mais sustentáveis e gestão responsável do desempenho ambiental da cadeia de fornecimento. Também neste sentido, até 2025, a C&A espera tornar toda a sua energia 100% renovável.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...