Book Gang: a loja de livros que contraria a crise no sector

O Book Gang foi criado em Janeiro do ano passado como uma página de sugestões de leitura no Instagram, tornou-se um clube do livro digital e, entretanto, assumiu também as cores de uma livraria. Numa altura em que as vendas do sector afundam mais de 60%, a loja online do Book Gang apresenta uma trajectória inversa.

«Ao contrário do que seria de esperar, as minhas vendas triplicaram nas últimas duas semanas de Março», indica Helena Magalhães, fundadora do projecto. Foram vendidos perto de 300 livros, sendo que a loja tem menos de 20 títulos à escolha dos clientes: verifica-se um umento de 116% nas receitas entre Fevereiro e o dia de hoje.

«E este mês continua a todo o vapor, com todo o meu stock de livros a esgotar dia sim, dia não. O que mostra um crescimento na procura por experiências de comunidade e de incentivo à leitura no digital», sublinha ainda a responsável. Entretanto, com a suspensão do lançamento de livros durante os próximos meses, Helena Magalhães está a tentar recuperar sugestões antigas de títulos que já passaram pelo seu clube de leitura.

Está, por isso, em reuniões com as editoras para tentar levar para a loja online Book Gang alguns livros mais antigos, que possam manter os clientes entretidos durante a quarentena.

«Nestas últimas semanas, quando imaginei que iria parar de vender, as vendas triplicaram e continuam a subir. Com as pessoas em casa e o digital a ser o único meio de contacto, as redes sociais tornaram-se janelas para o mundo e, por alguma razão inexplicável, o Book Gang reforçou este sentimento de comunidade e de aproximação aos livro», conta Helena Magalhães.

Subscrições mensais a caminho

Todo o processo é 100% online. Os clientes compram os livros que entenderem através do site do Book Gang e os envios são feitos através de transportadora para a morada indicada. A partir de Maio, haverá outra modalidade disponível: será possível aderir a uma subscrição mensal através da qual é enviada uma caixa com um, dois ou três livros.

A selecção tem por base os hábitos de leitura e interesses de cada subscritor. Podem optar, por exemplo, por alguma das sugestões do mês deixadas pelo clube que deu origem à loja. «Pelo que temos estado a ver nestes meses de teste, a grande percentagem dos leitores compra todas as sugestões do mês ou, pelo menos, duas. Poucos são os que escolhem só uma», adianta Helena Magalhães.

Na loja online vão continuar a estar disponíveis os restantes livros lidos em meses passados, que podem ser comprados individualmente.

Texto de Filipa Almeida

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...