Aumento da procura obriga Mercadão a contratar mais 250 personal shoppers

O COVID-19 impulsionou o comércio electrónico e o Mercadão não foi excepção. O marketplace online viu a procura multiplicar por sete, obrigando ao recrutamento de mais 250 personal shoppers – profissionais responsáveis por recolher e entregrar no pazo de duas horas as compras que os utilizadores da plataforma fazem.

«Temos mais shoppers nas cidades onde já estávamos presentes e abrimos novas áreas de entrega, para chegar a cada vez mais portugueses», adianta Gonçalo Soares da Costa, CEO do Mercadão. Desde que a pandemia teve início, o marketplace estendeu-se à Malveira, Leiria, Évora, Setúbal, Montijo e Barreiro. Além disso, alargou o raio de acção no Algarve.

Junta-se ainda outra novidade: o Mercadão afirma ser o primeiro grande serviço de entregas no mesmo dia na ilha da Madeira, com operação no Funchal e Caniço. Para breve, fica prometida a chegada a Viana do Castelo e Viseu.

Gonçalo Soares da Costa garante que, apesar do crescimento da procura, a taxa de entrega não aumentou e mantém-se gratuita para compras acima dos 100 euros.

«O recrutamento dos novos personal shoppers foi decisivo para voltarmos às entregas rápidas, que nos distinguem no mercado português: entregas a partir de duas horas, em intervalos de entrega de apenas 30 minutos», acrescenta ainda o CEO. Pingo Doce, Body Shop, Science4You e Lev são algumas das marcas presentes no marketplace.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...