Anunciantes pedem desagravamento fiscal de 30% para os investimentos de 2020

A Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN) elaborou uma proposta de estímulos fiscais que o Governo poderia colocar em prática de modo a alavancar a publicidade nos meios de comunicação. Pede que seja estimulada a compra de espaço publicitário através de um desagravamento fiscal de 30% para todos os investimentos realizados este ano e que a Taxa do Audiovisual seja redireccionada para a produção de conteúdos para canais audiosivuais.

A APAN considera que as medidas sugeridas ao Governo podem ajudar a responder à quebra das receitas publicitárias nos media. Em comunicado, a associação garante que seriam estímulos com um impacto limitado na receita tributária do Estado e que, em simultâneo, permitiriam manter o mercado em movimento.

“Apresenta-se também como a forma menos distorcida de intervenção nos mecanismos de mercado, evitando a discussão em torno de eventuais favorecimentos”, sublinha a APAN, apontando que a proposta está em linha com o que já acontece noutros países europeus.

Um estudo elaborado pela associação mostra que cada euro investido em publicidade gera, em média, 4,4 euros na economia. “É, pois, economicamente importante salvaguardar esses investimentos”, indica ainda a APAN.

A associação considera ainda que existe outro factor a considerar: além do contributo para o crescimento económigo, a publicidade terá efeito na confiança do consumidor.

«A publicidade e a comunicação têm um forte efeito multiplicador em todos os sectores e actividades económicas. Perante um momento difícil, e antecipando o período de recuperação que teremos pela frente, as medidas propostas pretendem contribuir para incentivar a actividade, manter empregos, manter os meios de comunicação social a funcionar e terá um impacto directo sobre a recuperação económica das empresas e do País», afirma Manuela Botelho, secretária-geral da APAN.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...