«Afastar as crianças dos anúncios não garante protecção»

Com a proliferação de meios, não há como as crianças não estarem expostas a mensagens comerciais, na TV, no ponto de venda ou nos “novos” telefones e tablets. O caminho tem de ser feito pela educação, defende Caroline Oates, investigadora e docente na universidade de Sheffield

Texto de Maria João Lima

Foto de Paulo Alexandrino

Caroline Oates tem analisado a (in)capacidade das crianças reconhecerem a publicidade em diferentes formatos, a tendência de utilizar o marketing para promover comportamentos pouco saudáveis, o aparecimento de comunicações integradas e o papel dos pais neste ambiente. Temas que aprofundou, em conversa com a Marketeer.

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Abril de 2017 da revista Marketeer.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...