«A Vodafone tem assumido um papel relevante na descoberta de novos talentos na música»

O Vodafone Mexefest regressa a Lisboa, este fim-de-semana, para dois dias de música em ambiente urbano. Nomes como Benjamim Clementine, Peaches, Patrick Watson, Márcia e They’re Heading West fazem parte do cartaz mas as novidades não se ficam pelos artistas. A Marketeer falou com Leonor Dias, directora de Marca e Comunicação da Vodafone Portugal, para descobrir que mudanças estão preparadas para os dias 27 e 28.

Porquê apostar em novas salas e em novos conceitos como o Vodafone Black Out Room?

O factor novidade faz parte do ADN do festival e por essa razão procuramos inovar e surpreender com as nossas acções, a cada ano que passa, na expectativa de trazer cada vez mais pessoas aos nossos eventos.

A grande novidade da edição deste ano é a Vodafone Blackout Room – Sala 3 do Cinema São Jorge, onde tempo e espaço ganham uma nova perspectiva, proporcionando uma experiência musical única. Os concertos acontecem totalmente às escuras, apelando a uma experiência puramente sensorial. Akua Naru, Castello Branco, Benjamim e Bombino são os artistas confirmados para este palco.

Como tem sido a evolução do número de visitantes?

Os resultados do festival têm sido extraordinários. O Vodafone Mexefest assume-se, hoje, como um festival totalmente afirmado, que já faz parte do circuito cultural da cidade de Lisboa. As edições passadas foram um sucesso. O festival esgotou em 2011 e novamente na edição passada, em 2014.

De que forma a marca Vodafone estará presente nos dias do festival? Que activações estão a ser preparadas?

A cumplicidade da Vodafone com o festival reflecte-se nas acções que desenvolvemos. Por serem criativas, irreverentes e impactantes, reforçam não só o carácter e a personalidade da marca como potenciam e possibilitam experiências e emoções únicas a quem vai ao festival.

Tal como já referido, a grande novidade deste ano é a Vodafone Blackout Room, mas não é a única. A Vodafone convidou cinco personalidades de destaque no panorama artístico/cultural nacional que, em comum, têm uma enorme paixão pela música. Estas personalidades construíram o seu roteiro para os dias do festival e vão partilhá-lo com o público, através da app oficial do Vodafone Mexefest.

Ao mesmo tempo, desenvolveram diversas intervenções, que estarão presentes em vários pontos da Avenida da Liberdade, que têm como objectivo tornar ainda mais rico o festival, envolvendo o público com o evento. São vários olhares sob o mesmo tema: “A música mexe na cidade”.

Inês Meneses, radialista e comunicadora, escreveu um texto que será projectado na Praça dos Restauradores; Joaquim Quadros, locutor da Vodafone FM e especialista em música Indie, vai sugerir músicas de novas bandas portuguesas, que podem ser descarregadas gratuitamente através de QR Codes disponíveis no Estúdio Vodafone FM; Rui Miguel Abreu, jornalista, radialista e divulgador de música nova, levará o Mercado de Música Independente ao festival; Paulo Segadães, fotógrafo, realizador e baterista de The Legendary Tigerman vai ter uma exposição de fotografias de sua autoria, em mupis especiais na Avenida da Liberdade; e André Tentúgal, realizador e mentor dos We Trust vai realizar uma curta-metragem, que será exibida na Sala 3 do Cinema São Jorge, nos intervalos entre os concertos.

A Vodafone tem estado ligada a festivais considerados de música mais alternativa e até a Vodafone FM é vista da mesma forma. Como surgiu esta escolha?

A Vodafone tem, ao longo dos últimos anos, assumido um papel muito relevante na descoberta e divulgação de tendências e novos talentos na área da música, seja através dos eventos que apoia, seja através da Vodafone FM, que dá consistência e credibilidade a esta estratégia. Este é o caminho que a Vodafone decidiu seguir, por ser o que mais se identifica com a marca e que aquele que nos permite maior diferenciação.

É expectável encontrar a Vodafone, no futuro, em outro tipo de eventos de música?

É difícil dizer, na medida em que vai sempre depender dos projectos que vierem a surgir e do seu enquadramento na estratégia que seguimos. A Vodafone tem um posicionamento no território da música muito consistente. Estamos presentes no Rock in Rio, um evento de massas de escala internacional e o de maior dimensão em território nacional; no Vodafone Paredes de Coura, que acontece numa pequena vila minhota, mas podia acontecer em qualquer parte do mundo, por se tratar de um festival de tendências; e no Vodafone Mexefest, festival urbano, reconhecido pelo seu conceito inovador, que se afirma como um dos maiores eventos artísticos e culturais da cidade. Procuramos sempre eventos que se enquadrem no nosso ADN e na nossa forma de estar no mercado e a única certeza que podemos dar é que não diremos nunca que não a um desafio que faça crescer ainda mais a marca.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...