À altura dos desafios

A Águas do Algarve tem como missão garantir o abastecimento de água para consumo humano, quer em quantidade como em qualidade, e o tratamento de águas residuais de acordo com os mais elevados padrões de qualidade e fiabilidade, num quadro de desenvolvimento sustentável, em toda a região do Algarve.

Se há uns anos a água da torneira do Algarve era muito diferente da disponível no resto do País (um pouco mais salgada, dizia- -se), levando ao consumo de água engarrafada, hoje a situação está diferente. Teresa Fernandes, responsável da Comunicação e Educação Ambiental na Águas do Algarve, explica que esse estigma já não existe, tendo sido ultrapassado há muito. «Actualmente, a água fornecida pela Águas do Algarve a todos os 16 municípios da região é reconhecida pela sua excelente qualidade, a qual é suportada através do cumprimento das melhores práticas de operação e manutenção, sustentadas pela monitorização laboratorial de parâmetros acreditados», afirma.

Teresa Fernandes destaca que a água fornecida pela Águas do Algarve tem uma qualidade exemplar, apenas possível pela existência de práticas que assentam na gestão do risco e na garantia de que todas as acções são efectuadas tendo como objectivo o fornecimento contínuo de água segura para consumo humano. «Também a certificação obtida para o produto “água para consumo humano”, de acordo com o referencial ERP 5001, obtida no ano de 2007, apresenta-se como mais uma garantia inequívoca da qualidade do produto água que é fornecida na nossa região», reforça a responsável da Comunicação e Educação Ambiental da Águas do Algarve.

A empresa tem consumidores regulares, ao longo de todo o ano, e consumidores esporádicos, nos meses de Verão, situação que Teresa Fernandes considera um desafio. «Estamos a falar de uma população de 500 mil habitantes, em época baixa, e mais de 1,8 milhões de habitantes em época alta, com tudo o que isto implica! Neste quadro, e no sector da água, há que considerar as alterações climáticas que vieram para ficar, e que já se começam a fazer sentir no nosso país e na nossa região», afirma a responsável.

Teresa Fernandes afirma que se assistirá a um amplo e diversificado conjunto de impactos sobre os vários sectores da actividade que, a longo prazo, serão gravosos e certamente muito negativos. Um exemplo actual e confirmado é a tendência de subida da temperatura e de diminuição da precipitação média, com fenómenos extremos meteorológicos. «A avaliação integrada por parte de todos os sectores de actividade acerca dos impactos que as alterações climáticas irão provocar permite- -nos obter uma visão global do futuro, fundamental para que também no nosso sector seja possível redefinir quais as medidas mais adequadas de adaptação e minimização dos impactes, através da definição de novas estratégias e planos nacionais e regionais, para enfrentar as alterações climáticas e os novos desafios ambientais. São certamente alguns dos maiores desafios que o sector e a Águas do Algarve terão pela frente nos próximos anos», afirma Teresa Fernandes. Apesar do cenário, a responsável da Comunicação e Educação Ambiental acredita que estes desafios podem, e devem, ser encarados de forma positiva e como oportunidade de desenvolvimento, continuando a garantir as necessidades actuais sem comprometer o futuro, num quadro de desenvolvimento sustentável.

Apesar da comunicação constante ao longo do ano, o pico de consumo de água nos meses de Verão motiva um maior investimento durante a época veraneante, considerando que a população praticamente triplica. «Considero, contudo, que a educação ambiental não deve ser promovida de forma fragmentada, ou reduzida às comemorações de datas como Dia do Ambiente, Dia da Água ou Dia dos Oceanos. Também não nos podemos limitar a discussões isoladas, como sejam apenas a água, ou os plásticos, alterações climáticas ou reciclagem. Devemos agir de acordo com formatos temáticos articulados, despertando consciências para a prática proactiva de acções capazes de conciliar o ambiente e a sociedade», vinca.

Foco na responsabilidade

A Águas do Algarve tem uma vasta intervenção na vertente da educação ambiental na região, sendo assumida como vector estratégico de intervenção na senda de um maior desenvolvimento ecológico e ambiental. «Um dos nossos principais objectivos prende- -se essencialmente com a formação dos vários intervenientes nas nossas acções, para uma maior tomada de consciência ambiental e consequente adopção de comportamentos e atitudes que possam assegurar um maior respeito pelo ambiente em geral, e pelo nosso planeta. Só assim conseguiremos atingir um futuro apoiado no desenvolvimento sustentável», afirma Teresa Fernandes.

A responsável da empresa destaca iniciativas como a Desafios da Água, um evento internacional que contou com mais de mil participantes. Este evento surgiu da necessidade e da importância de desenvolver uma iniciativa em que fosse possível divulgar e promover o debate e a partilha de informação acerca de um tema sempre actual e cada vez mais determinante: a gestão eficiente e ambientalmente sustentável dos recursos hídricos e ecossistemas a eles associados, considerando a sua vulnerabilidade a fenómenos climáticos extremos, que ocorrem cada vez com mais frequência.

Por último, a mais recente campanha, apelidada Água com um Pingo de Consciência, desenvolvida em parceria com a holding Águas de Portugal. Tratou-se de uma campanha de sensibilização com o objectivo de promover a utilização eficiente da água através da consciencialização para o seu valor em todas as dimensões. Esta campanha de sensibilização surgiu na sequência do Estudo Nacional sobre as Atitudes e Comportamentos dos Portugueses face à Água, realizado em Abril de 2018, que identificou a existência de dissonâncias entre as atitudes e os comportamentos dos portugueses face à água, que consideram como o mais importante recurso, mas não o valorizam e reconhecem que praticam desperdício. O estudo, que teve a participação de mais de 1660 pessoas num inquérito online, permitiu também identificar que os portugueses consideram as campanhas de sensibilização como uma das acções mais indutoras de comportam

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Via Verde Estacionar Lisboa com 1.º estacionamento gratuito