9 em cada 10 portugueses privilegia a sustentabilidade

O compromisso dos portugueses com a sustentabilidade é cada vez maior. É esta a conclusão de um estudo que apurou que 9 em cada 10 portugueses dão preferência a produtos, empresas e marcas sustentáveis.

Os dados são do estudo “Portugal e França: Juntos na Transição Ecológica – A responsabilidade das empresas em tempo de Covid”, dos Conselheiros do Comércio Externo da França, em Portugal – CCEF.

O estudo aborda o combate às alterações climáticas, com destaque para as empresas de origem francesa presentes em Portugal, enquanto agentes responsáveis por uma sociedade mais sustentável.

“Os resultados do estudo indicam-nos que se verifica uma tendência ao nível da consciencialização ambiental: 75% dos cidadãos inquiridos residentes em Portugal dizem-se preocupados com o ambiente e as alterações climáticas, com 14% a afirmarem estar muito preocupados e 61% a demonstrarem alguma preocupação. Esta preocupação reflecte-se quando 88% dos cidadãos inquiridos confirmam valorizar produtos, empresas e marcas sustentáveis”, informa o CCEF em comunicado.

O estudo procurou também compreender e avaliar se a preocupação e o compromisso com a transição ecológica por parte das empresas é, ou não, um factor de valorização perante os cidadãos. E também perceber de que forma é que os cidadãos percepcionam esse compromisso.

Num contexto de mudança de emprego, em que se escolhe entre um empregador comprometido com a sustentabilidade e um que não o seja, 54% dos inquiridos admitiram que prefeririam as ofertas de trabalho de empresas associadas a boas práticas ambientais. Apenas 3% dos portugueses inquiridos dizem não ter de todo em consideração este factor quando se candidatam.

A maioria dos inquiridos (69%) continua a percepcionar que as empresas comprometidas com a protecção ambiental representam uma minoria. O CCEF refere que percepção dos cidadãos de poderá estar relacionada com o facto de, actualmente, apenas 23% se recordarem de acções ambientais promovidas pelas empresas

Para alcançarem o compromisso com a protecção ambiental, as empresas precisam de realizar acções concretas; e para obterem reconhecimento, precisarão de conseguir comunicar melhor junto dos consumidores.

62% dos inquiridos consideram que as acções realizadas e comunicadas pelas empresas, apesar de corresponderem a um compromisso efectivo, devem-se à vontade trabalharem a sua imagem; 24% consideram que servem apenas para passar boa imagem e apenas 14% acreditam num compromisso efectivo, em que a imagem transmitida ao público é secundária.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...