7 tendências do e-grocery em 2022

Por Milana Dovzhenko, co-fundadora do Bairro (serviço de entregas rápidas de comida, mercearias, produtos para a casa e produtos de beleza)

Os primeiros meses de 2022 já passaram, mas são ainda várias as tendências em aberto e que irão marcar os próximos meses. O e-grocery trouxe o que até então era inimaginável: a possibilidade de fazer as compras de supermercado a partir de casa, sem filas, sem distâncias e com poucas ou nenhumas preocupações. Depois de um 2021 marcado pelo continuado boom do e-grocery iniciado na pandemia, acredito que 2022 será o ano de consolidação e afirmação deste tipo de negócios com novos desafios e adaptações àquilo que são as tendências emergentes deste sector em crescimento.

1. Encomendas de E-grocery mais pequenas e frequentes

A pandemia mudou o comportamento dos clientes nas compras online. De acordo com o relatório da agência de marketing americana Acosta, 45% dos consumidores faz, actualmente, mais compras de mercearias online do que antes da pandemia. À medida que os consumidores se sentem mais à vontade com as compras online de mercearia, mais frequentes serão as encomendas e o aumento de pressão sobre a produtividade e eficiência da recolha de encomendas nas lojas.

2. Entregas mais rápidas

Num mundo em que tempo é dinheiro, o tempo será o factor-chave no novo ano e os consumidores querem eficiência. O ditado diz que “depressa e bem não há quem”, mas o surgimento de fast e-grocery apps prova o contrário. Esperar 30 minutos parece agora o limite máximo de tempo que os consumidores estão dispostos a considerar, na expectativa de conseguirem as suas compras de última hora. É preciso que as soluções de e-grocery acompanhem o ritmo acelerado que os consumidores exigem.

3. Automação de serviços

O surgimento do e-grocery assenta na tecnologia e é da tecnologia que o seu futuro depende. Mais do que nunca, procuram-se soluções tecnológicas que procurem dar resposta aos desafios emergentes e que venham ajudar os consumidores nas suas tarefas. Seja na loja física aberta ao consumidor, seja em grandes armazéns e dark stores, a mão de obra é necessária e urgente e é nesse sentido que a tecnologia pode ajudar. São muitas as empresas que precisam de soluções imediatas para gerir o fluxo intenso de negócio e prevê-se que a automação de serviços seja a principal de todas.

4. As refeições ficam mais frescas e práticas

Para conseguirem competir verdadeiramente com os serviços de restauração e entrega de refeições, os comerciantes têm vindo a melhorar as suas selecções de refeições pré-feitas nos últimos anos, acrescentando também novas ferramentas digitais de encomenda. Diferentes serviços de e-grocery fornecem refeições prontas a aquecer, prontas a comer, prontas a cozinhar e até mesmo uma refeição fresca de restaurante que está pronta para a recolha e entrega.

5. O papel importante da inteligência artificial

À medida que o online vai ganhando força, as empresas sentem agora uma necessidade e, acima de tudo, um sentido de oportunidade de aproveitar os dados recolhidos para garantir uma maior personalização do serviço e novas formas de interagir com o consumidor. Ainda assim, serão os assistentes virtuais de voz ou os já conhecidos chatbots que farão a diferença e irão permitir estreitar relações com os consumidores, ao incentivarem um contacto mais próximo com as empresas, esclarecerem de forma rápida e eficaz todas as suas dúvidas e reforçarem a confiança nos seus serviços.

6. Aumento da quota de mercado das marcas próprias de foodtech

De acordo com os resultados do relatório da Associação da Indústria Alimentar, 91% dos retalhistas e fabricantes planeia aumentar de forma significativa ou moderada os seus investimentos nos próximos dois anos. Ao desenvolverem marcas próprias, os comerciantes podem encontrar sucesso na procura de fornecedores alternativos, mais recentes ou de dimensão mais reduzida que permitem combater a escassez de oferta.

7. A sustentabilidade irá liderar

Se há conceito que se mantém tendência em 2022 – e ainda bem – é o de sustentabilidade. Transversal a todas as áreas de negócio, esta é uma preocupação actual dos consumidores que estão mais despertos para o modelo de actuação de cada empresa e para o impacto que isso significa para o ambiente. Para este ano, procura-se assegurar embalagens recicláveis, evitar os plásticos, reduzir o desperdício alimentar e ser amigo do ambiente na escolha do transporte dos estafetas, como as bicicletas e motas que reduzem as emissões de dióxido de carbono.

O futuro acontece todos os dias e as tendências de 2022 já se fazem sentir. Com mais ou menos confiança no que aí vem, a antecipação é a chave para um resultado de sucesso. Cabe a todos os que dominam e que se aventuram pelo negócio do e-grocery traçar o seu destino e garantir que a felicidade do consumidor se traduz na própria felicidade e evolução do sector. 2022 já começou e a tendência só pode ser a de um crescimento sustentado e feliz.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...