5 vinhos para beber na Páscoa

Texto de Inácio Loureiro, sommelier

Como alguém disse um dia, o vinho é verdadeiramente a bebida mais religiosa que temos! Assim sendo, recomendo os seguintes cinco vinhos para celebrar a Páscoa:

Automático 2015Ribeiro-Santo-Automático

“Automático, um vinho que se faz com um mínimo de intervenção humana, de modo natural, que se faz por ele”. Este vinho foi feito a partir de vinhas velhas da casta Encruzado. É um vinho muito refrescante de mineralidade evidente, aroma muito puro, neutro ou quase, o seu típico toque varietal de frutos cítricos está presente, é ligeiro e untuoso, vegetal, limpo e objectivo. Na boca é corpulento, com rusticidade subtil, acidez afiada e um final longo. São exactamente estas características que levam a que seja um vinho que enfrenta naturalmente pratos de peixe ou carne com alguma gordura como é típico na Páscoa.

Quinta da Pellada “Primus” 2013

É, sem duvida, para mim, um vinho branco que justifica o preço, produzido a partir de uvas de uma das mais velhas vinhas da região do Dão, onde estão plantadas cerca de vinte castas sendo predominante o Encruzado e Bical. Isto deu origem a um vinho de grande riqueza, textura e complexidade, com aromas e sabores requintados onde se misturam fruta branca e citrina, apontamentos minerais, leves fumados, flores e especiarias verdes. Cheio de classe e com muito futuro pela frente, no entanto justifica-se nesta quadra festiva.

 

 

Luís Pato BTT 2010

BTT 2010Eis um vinho de que gosto não só por ter um nome alusivo a uma modalidade desportiva que me agrada, mas também pelas suas qualidades todo-o-terreno, tão versátil que devidamente decantado será uma boa opção para peixes ou caça de pena ou pêlo.

É um tinto de cor aberta, feito com as castas Baga, Tinto Cão e Touriga Nacional, nariz discreto a madeira ligeira sem marcar, notas terrosas, fruta escura, tipo ameixa, framboesa, mirtilos maduros e uma frescura mentolada, boca de elegância exemplar, mineralidade, secura de taninos e acidez exemplar.

Ribeiro Santo ET 2013

ET 2013Este vinho foi criado pelo enólogo e produtor mais criativo que conheço, o engenheiro Carlos Lucas faz este vinho tinto com uvas brancas e tintas, das castas (E)ncruzado e (T)ouriga Nacional de uma vinha velha. A ideia foi fazer um vinho à semelhança dos tintos que se produziam antigamente na região do Dão, eram vinhos muito ligeiros, sempre muito frescos, longevos e com baixo teor alcoólico, para conseguir tal façanha nos dias de hoje, mandou construir um pequeno lagar de inox com a forma de um ovni, este peculiar lagar permitiu remontagens muito suaves e com temperatura controlada. É, sem duvida nenhuma, um vinho extra-terrestre que aconselho com pratos bem elaborados e requintados.

Moscatel Roxo 20 anos José Maria Fonseca

Portugal é rico na produção de vinhos fortificados, mas na Páscoa as amêndoas, o chocolate
e o típico Folar pedem um bom moscatel com aroma intenso e paladar concentrado.

A JMF já nos habituou aos moscatéis de grande qualidade e neste aplicou, sem duvida, o blend perfeito, feito a partir de quatro vinhos em que o mais jovem tem 23 anos e o mais velho 80 anos.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...