Coronavírus: sector audiovisual pede apoio do Governo

Um conjunto de 100 empresas da área do audiovisual juntou-se para alertar para a crise que o sector enfrenta, numa altura em que todos os eventos foram cancelados. Segundo explicam, o problema não está apenas na perda efectiva de facturação, mas também na incapacidade de cumprir todos os compromissos assumidos com os trabalhadores, Estado, segurança social e demais entidades.

NCS, Europalco, Musimagem, BragaEventos, Nightshift ou Cor do Som são algumas das empresas que se uniram para sensibilizar o mercado e o Estado. Querem também tentar encontrar soluções que viabilizem e permitam a sobrevivência deste segmento da indústria da cultura. Já que consideram que não existem políticas pensadas para incentivar o regresso aos eventos sociais, espectáculos, concertos, festivais ou feiras, entre outros, depois de a pandemia passar.

Em comunicado, sublinham que é crucial a criação de um pacote de medidas adaptadas ao sector com eixos de acções concretos e específicos, de modo a evitar falências ou insolvências. Uma das sugestões passa pela suspensão imediata do pagamento de todas as obrigações fiscais e contributivas ou adiamento do pagamento das mesmas na proporção do trabalho efectivo prestado, sem penalização ou juros.

Estas empresas sugerem ainda libertar linhas de crédito sem juros e de elegibilidade acessível a nano, micro, pequenas e médias empresas, bem como a possibilitação de períodos de carência a empresas com empréstimos à banca. “O nosso futuro não pode ser cancelado! Portugal precisa de nós!”, referem.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...