10 mitos (e 10 verdades) sobre o sono do bebé

Por Clementina Almeida, psicóloga clínica especialista em bebé, fundadora da ForBabiesBrain by Clementina e autora de diversos livros

Vamos falar acerca do sono do bebé! Não há assunto mais discutido entre os pais nem assunto onde todos parecem ter uma opinião sobre como o bebé deve dormir, onde o bebé deve dormir e soluções infalíveis para que o bebé passe a dormir a noite toda.

Adicione à mistura um estado de espírito exausto de incontáveis noites sem dormir e torna-se ainda mais difícil separar o mito da ciência. Fique tranquila(o) não há nada de errado com o seu bebé nem consigo.

Aqui está o que lhe posso dizer: não tem culpa que o seu bebé não durma. Você não é uma/um má/mau mãe/pai. Também não há nada de errado com o seu bebé. Ele não está a desenvolver-se a um ritmo mais lento só porque acorda durante a noite.

O importante é escolher o que funciona para si e para a sua família, para que todos durmam bem. E para isso vou separar aqui os mitos das verdades científicas.

#1- Os bebés conseguem dormir a noite toda

Acordar de noite para um bebé é uma programação evolutiva da nossa espécie para garantir à cria que ela não é deixada à mercê de predadores, garantindo assim a sua sobrevivência. Por outro lado, acordar de noite está associado à necessidade de amamentação do bebé segundo as suas necessidades, uma vez que o seu estômago é muito pequenino, e, portanto, vai “esvaziar-se rapidamente”, mas também porque a concentração nutritiva do leite materno vai variar nos diferentes momentos do dia.

E por serem bebés, têm um padrão de sono muito diferente do padrão dos adultos, com mais períodos de sono leve, o que os faz ficarem mais vulneráveis a despertares nocturnos.

A dica científica: adeque as suas expectativas ao desenvolvimento do sono do bebé e siga os seus instintos.

#2- Os bebés são capazes de se acalmarem sozinhos

A capacidade de autorregulação emocional é um marco de desenvolvimento psicológico, tal como o andar sozinho, o que pressupõe certo tipo de mecanismos cognitivos sofisticados como sejam linguagem, memória e até a capacidade preditiva dos acontecimentos, o que implica a criação de uma espécie de teorias acerca do desenrolar da situação. No caso dos bebés, implicaria eles saberem identificar que estão angustiados, que precisam de se acalmar e que existem formas materiais de o fazer… Claramente impossível!

A dica científica: nunca deixe o seu bebé a chorar até adormecer, isso terá efeitos desastrosos no seu desenvolvimento cerebral e psicológico.

#3- Os bebés devem ser treinados a dormir a noite toda

Treinar os bebés a dormirem muito profundamente, e muito precocemente, não respeita os interesses psicofisiológicos nem psicológicos do bebé, ou seja, deixar o bebé a chorar ou deixar o bebé a solicitar a nossa resposta e ficar a olhar para ele, a dar-lhe festinhas, como se de um cachorrinho se tratasse, cria um potencial de dano ao negligenciar as necessidades dos bebés somente para os “treinar” a dormir.

Dica científica: dê colo e responda ao seu bebé enquanto ele é bebé, porque isto vai conduzir a uma maior capacidade de se acalmar a si próprio sempre que se sinta triste ou com raiva, ou até mais ansioso em situações futuras.

#4- Os bebés acordam de noite para mamar.

Os bebés não acordam para mamar, os bebés mamam para dormir! O leite materno pode realmente ajudar o bebé, uma vez que contém hormonas, aminoácidos e nucleótidos indutores do sono, cujas concentrações são mais altas durante a noite. No momento da amamentação, tanto o bebé como a mamã libertam a hormona colecistocinina, que tem um efeito saciante (depois de mamar o bebé fica satisfeito) e ao mesmo tempo um efeito sedativo, ou seja, provoca sonolência tanto no bebé como na mãe.

Paralelamente, dá-se a libertação de prolactina, que provoca uma sensação de bem-estar e ajuda na produção do leite da mãe. A junção de ambas faz com que o leite materno seja um poderoso “cocktail” indutor de sono. Mais ainda, o leite materno contém o triptofano, que é um percursor da melatonina, o que faz com que o bebé adormeça mais facilmente à noite e prolongue o sono por períodos mais longos.

Como se não bastasse de razões pelas quais o bebé procura a mama para voltar a adormecer após um despertar nocturno, acrescentamos ainda a produção de serotonina e ocitocina, as chamadas hormonas do “amor”, que levam o bebé a sentir segurança, carinho e amor, o que o ajuda não só no sono mas também também no seu desenvolvimento.

A dica científica: confie nos seus instintos, se amamentar para dormir está a funcionar para si e para o seu filho, então continue a fazer o que é certo para si. Amamentar para dormir é a norma biológica.

#5- Talvez o meu bebé não precise de dormir tanto quanto os outros

Este é possível, mas extremamente raro. A percentagem de bebés, em particular depois dos 12 meses, que necessitam de menos do que a quantidade recomendada de sono todos os dias é de menos de 2%. O mais provável é que o seu bebé esteja com o padrão de sono desorganizado.

O sono é uma habilidade inata e, como tantas outras, vai-se desenvolvendo à medida que o bebé cresce e se desenvolve. Isto significa que não há milagres que façam o bebé dormir a noite toda antes de estar pronto neuropsicologicamente. O nosso trabalho como pais é, como em todas as outras áreas, tornar as circunstâncias ambientais favoráveis a este desenvolvimento e compreender as fases de desenvolvimento do padrão de sono na primeira infância para melhor conseguir ajustar as nossas expectativas.

A dica cientifica: crie o ambiente ideal de sono, seja ele externo (a luz, o ruído e a temperatura) ou interno ( verifique se o bebé está com fome, com angústia ou com alguma dor).

#6- Manter o bebé acordado até mais tarde na hora de deitar vai fazer com que durma até mais tarde

Pode parecer lógico mas o sono do bebé, acima de tudo, é neurológico. Quanto mais cansado o bebé for para a cama mais dificuldade terá em adormecer e mais disrupção o seu sono vai sofrer, resultando em mais despertares. Para além de no outro dia termos de lidar com o bebé mais rabugento por ter descansado mal ou não o suficiente.

A dica científica: leve o seu bebé para a cama antes que ele fique demasiado cansado.

#7- Retirar as sestas vai fazer com que o bebé durma melhor à noite

Mais uma vez, o facto dos bebés não fazerem as sestas recomendadas para a sua idade resulta em bebés cansados e por isso com mais dificuldade em adormecer e com um sono menos repousante, com despertares nocturnos ainda mais frequentes. Quanto mais e melhor o bebé dormir de dia melhor vai dormir à noite.

A dica científica: certifique-se de que o seu filho está a dormir o suficiente para a sua idade de dia e de noite e que não está a passar por uma regressão de sono, que por vezes se confunde com uma necessidade de deixar uma sesta.

#8- Mantenha o quarto e a casa silenciosos

Páre um minuto e pense comigo acerca do ambiente sonoro que o bebé teve enquanto estava na barriga da mãe: sangue a circular, coração a bater, movimentos digestivos e por aí fora. Por isso é muito estranho para os bebés dormirem num ambiente totalmente silencioso.

Assim, à medida que o bebé cresce ele vai-se adaptando aos ruídos externos, mas isto não quer dizer que o bebé deve dormir com o som da TV ligada ou com a grande confusão de um almoço de família, porque a par com o seu desenvolvimento físico está a acontecer um imenso desenvolvimento cerebral que faz com que os bebés não queiram “perder pitada” de tudo o que este novo mundo lhes traz. Então, a virtude está em manter algum ruído, mas não o suficientemente interessante para que o bebé prefira não dormir para descobrir tudo o que o rodeia.

Dica científica: invista numa máquina de ruido branco, este tipo de sons “abafa” os do meio ambiente, facilitando o adormecer do bebé.

#9- O bebé deve dormir com luz para se habituar a distinguir o dia da noite

A luz do dia é muito importante para o sono mas só quando o bebé está acordado, uma vez que esta exposição vai fazer com que o bebé regule o seu ritmo circadiano. No que toca à hora de dormir, seja de noite ou de dia para as sestas, o ambiente deve ser totalmente escuro.

Um local escuro para dormir ajuda o bebé (e a nós também) a adormecer mais facilmente, dormir mais durante as sestas e a dormir até mais tarde pela manhã. Isto porque a escuridão envia a mensagem aos nossos corpos de que é necessário produzirem melatonina (a nossa hormona do sono), que é fundamental para um sono saudável, em particular quando o padrão de sono do bebé se está a desenvolver e ficará para toda a vida.

Dica científica: seja um detective e procure no ambiente de sono do bebé alguma fonte de luz branca ou azul e remova-a ou cubra-a com uma t-shirt vermelha. Invista em blackouts para ajudar o seu bebé a ter um sono reparador.

#9- Deixar sempre uma luz de presença porque o bebé pode ter medo do escuro

Na verdade, se nós nos lembrarmos de quando em pequeninos tínhamos medo do escuro, isto pode fazer com que pensemos que o nosso filho também vai ter, mas estas nossas lembranças da nossa infância remontam provavelmente aos nossos três anos e não antes, onde é comum as crianças terem medo do escuro, entre outros.

Uma luz de presença não vai ajudar o seu filho a desenvolver as competências de que necessita para dormir e a luz de presença errada (luz branca ou azul) pode realmente dificultar o sono do seu bebé – ver Mito n.º 9.

Dica científica: torne o momento de adormecer o mais tranquilo possível, de preferência com uma actividade relaxante entre ambos: o embalo, uma história ou uma canção de embalar.

#10 – Os bebés dormem melhor quando passam para os alimentos sólidos

Muitos pais ouviram que começar com alimentos sólidos cedo (antes dos 4-6 meses) ou adicionar cereais ao biberão vai ajudar o bebé a dormir melhor. Para além de isto não ser verdade, a introdução alimentar antes dos seis meses está totalmente desaconselhada devido à imaturidade do sistema digestivo e à falta de competências motoras orais do bebé.

Dica científica: siga com a dieta à base de leite materno (preferencialmente) ou leite adaptado e assim poderá evitar o aparecimento, inclusive de alergias alimentares.

Portanto, lembre-se de que acordar à noite é normal, até para nós adultos que em algum momento da noite o fazemos sem ter disso consciência. É comum. Por isso, da próxima vez que sentir que é a/o única(o) mãe/pai a tentar adormecer o seu filho pela sétima vez, lembre-se que existe um conjunto de pais na mesma situação lá fora!

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...