1% pode fazer toda a diferença

“Para nós é 1%, para um bebé pode ser tudo.” Há vários anos que a Chicco tem vindo a repeti-lo. Com efeito, há 13 anos consecutivos que a marca de puericultura da Artsana ajuda os hospitais portugueses através do projecto Chicco Dá Vida, que reverte 1% das vendas nas lojas da marca (durante os meses de Agosto e Setembro) em material hospitalar destinado a equipar as Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) espalhadas pelo País.

Este ano, o projecto Chicco Dá Vida apoiou a Unidade de Neonatologia do Hospital Garcia de Orta, em Almada. A campanha resultou na doação de um ecógrafo portátil, um suporte rodado equipado, uma impressora térmica monocromática, um gravador de DVD RW, um conjunto de sondas sectoriais cardíacas pediátricas, uma sonda microconvexa pediátrica e uma sonda linear vascular.

«Esperamos ter contribuído para melhorar a qualidade dos serviços prestados aos bebés que dão entrada na UCIN do Hospital Garcia de Horta e para apoiar os seus profissionais de saúde, que se dedicam incansavelmente a estes bebés», afirma Filipa Remígio, directora Comercial e de Marketing da Artsana Portugal. «Sempre que o projecto Chicco Dá Vida chega a um novo hospital, estamos a cumprir mais um pouco do nosso objectivo. Sentimo-nos orgulhosos e trabalhamos muito para que ele possa continuar a existir e a crescer», reitera.

A edição deste ano do projecto contou com o endorsement da actriz Fernanda Serrano, embaixadora da marca, que foi a cara e a voz da campanha. «A colaboração e o apoio dos padrinhos têm sido indispensáveis para a divulgação e crescimento do projecto Chicco Dá Vida. A Fernanda Serrano disponibilizou-se desde a primeira hora para se juntar a nós na divulgação do projecto. Por ser uma cara familiar, tão próxima e tão acarinhada pelo público português, foi uma escolha fácil», sublinha a responsável.

Envolver a comunidade

A campanha Chicco Dá Vida teve início em 2006 com o apoio à Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais do Hospital Dona Estefânia, em Lisboa. De acordo com Filipa Remígio, o projecto foi criado porque as Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais dos hospitais e maternidades «não tinham equipamento suficiente para fazer face às necessidades da população». Ao longo destes 13 anos, o projecto já passou por vários hospitais de Norte a Sul e doou diferentes equipamentos, como monitores, ventiladores ou incubadoras. «Ainda assim, sabemos que muitas UCIN continuam a não estar bem equipadas. Por isso, as razões que nos levaram a criar este projecto são as mesmas que nos motivam a mantê-lo. O caminho percorrido é longo mas ainda não é suficiente», frisa.

De acordo com a responsável, a cada edição da campanha, a Chicco selecciona os hospitais a apoiar, faz o pagamento aos fornecedores e trata da entrega e colocação dos equipamentos. «Todos os anos, entramos na UCIN do hospital seleccionado e ouvimos os profissionais de saúde explicarem em que medida o equipamento doado irá afectar não só o seu trabalho como também a vida dos bebés que passam nestas Unidades de Cuidados Neonatais. Esse é o momento marcante: ver os bebés que lutam pela vida nestas unidades e sabermos que, com o nosso trabalho, estamos a contribuir para fazer a diferença na sua vida e das famílias», afirma a responsável. «É uma enorme responsabilidade que iremos continuar a assumir enquanto for necessário», garante.

Contudo, nada disto seria possível de concretizar sem a contribuição dos consumidores. Por isso, Filipa Remígio assegura que o projecto «pertence aos bebés e às suas famílias, aos profi ssionais de saúde, a todos os que nele colaboram e a todos os consumidores que confi am na nossa marca. Um projecto de responsabilidade social só faz sentido quando está alinhado com os propósitos da marca e benefi cia de forma muito objectiva a vida da comunidade. No caso específi co deste projecto, a própria comunidade é parte activa no projecto, pelo que para nós fez sempre todo o sentido que estivesse envolvida desde o início. São os nossos consumidores que, ao fazerem compras nas nossas lojas, estão a contribuir para este projecto. Uma parte signifi cativa sabe que o está a fazer», explana.

Além disso, em termos de comunicação, todos os anos a Chicco conta com o apoio de diversos parceiros de media, que cedem os seus espaços e serviços para a divulgação do projecto durante os meses de Agosto e Setembro. A marca conta ainda com o trabalho da agência de meios WaveMaker, da agência criativa ExcentricGrey, da agência de comunicação Hill & Knowlton e da agência de relações públicas 17.Com. Este ano, a campanha, protagonizada por Fernanda Serrano, foi transmitida em TV, rádio, outdoor e digital, ao longo de dois meses.

Roupa e produtos sustentáveis

Além das acções de responsabilidade social corporativa, onde se enquadra ainda o apoio à Ajuda de Berço (ver caixa), a Chicco tem vindo também a alargar a sua actividade no âmbito da sustentabilidade. Nesse sentido, recentemente, lançou uma linha de casacos produzidos a partir de plástico reciclado para a estação Outono-Inverno 2019/2020.

A nova linha de casacos de Inverno conta com a tecnologia Ecodown, uma inovação desenvolvida pela marca Th ermore, que se confi gura como a alternativa sustentável para a substituição das plumas. O Ecodown é o único produto sintético disponível no mercado feito a partir de fi bras 100% recicladas de garrafas de plástico pós-consumo, o que permite a reciclagem de um número considerável de garrafas de forma útil. No caso da gama da Chicco, «cada casaco permite a reciclagem de plástico PET equivalente até seis garrafas, que de outra forma seriam lixo», revela a directora Comercial e de Marketing da Artsana Portugal. «Esta foi uma decisão que considerámos importante tomar, o passo certo para a sensibilização e protecção do nosso ambiente, uma opção que garante o bem-estar das nossas crianças e que nos sensibiliza para a procura de alternativas mais sustentáveis no nosso dia-a-dia», reitera a responsável.

Entre outras medidas implementadas pela marca para diminuir a sua pegada ambiental está a decisão de ter deixado de ter disponíveis balões nas lojas (que tradicionalmente a marca oferecia a todas as crianças) e, desde 2015, ter abandonado gradualmente a utilização de sacos de plástico. «Este ano estamos a deixar de utilizar fi ta de nastro nos embrulhos», adianta Filipa Remígio.

Ainda segundo a responsável, a sustentabilidade está também no centro da inovação da Chicco. Quer isto dizer que a marca tem sempre como prioridade o desenvolvimento de produtos que sejam seguros, confortáveis e de qualidade, mas também duradouros e multifuncionais. A cadeira de papa Polly Progress5, por exemplo, um dos best-sellers da marca, demonstra esta versatilidade: começa por ser uma espreguiçadeira e evoluiu para assento elevatório, podendo ser utilizada desde o nascimento até aos três anos, dentro e fora de casa.

Outro exemplo é o Baby Hug – que, inclusivamente, ganhou no ano passado um prémio de inovação na Feira de Puericultura de Colónia -, um produto que é um berço de dia, espreguiçadeira, cadeira de refeição para usar à mesa e poltrona. Pode ainda ser usado como cadeira de papa, com a colocação de um tabuleiro, ou como berço de noite, adicionando um colchão específico.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...