Passos firmes

M.ª João Vieira Pinto
Directora de Redacção Marketeer

Não, não sou feminista. Talvez sonhadora e crente. Acredito na igualdade, neste caso, de género. Ou que um dia, quando a geração dos nossos filhos estiver ao comando das organizações onde hoje nos encontramos, não seja, de facto, preciso discutir quotas e eleger administradoras de empresas só para cumprir números.

Até lá, continuo dificilmente a tentar perceber alguns desequilíbrios.

Mesmo que não se leve completamente à letra o velho ditado de “sete mulheres para cada homem”, a verdade é que, em 2017, a população feminina portuguesa estava nos 5,425 milhões, enquanto a masculina se ficava pelos 4,875 milhões, diz-nos a Pordata. Depois, há todos aqueles dados estatísticos inúmeras vezes publicados e agora repescados e relembrados em diferentes campanhas de televisão e outdoor. As universidades portuguesas são ocupadas em 60% por mulheres, número que cai para os 50% quando se olha para os mestrados; as médias de final de curso no feminino são genericamente mais elevadas, mas já no mercado de trabalho o nível de ordenados fica-se 13% abaixo (em média) e, quando se chega à liderança de empresas, então aí a taxa de mulheres afunila-
se verdadeiramente.

Nós, por cá – isto é, na Marketeer – acreditamos que os paradigmas também se alteram. E que os cenários podem ser pintados de diferentes cores. Por isso também orgulhosamente abraçámos o tema que faz capa desta edição. Durante anos, tradicionalmente masculino, o sector do calçado tem vindo a passar por uma revolução que começou silenciosa e ganhou voz. Agora, também, feminina.

Depois de anos a fazermos os melhores sapatos do mundo a baixo valor e sem marca, reconquistámos o orgulho e partimos de novo à conquista. Mas com diferença e a fazer a diferença. Porque também a indústria é, em si mesma, diferente. Agarrou a inovação e soube dizer sim à experimentação.

Também por isso, poderíamos ter feito toda uma revista apenas e só com casos de mulheres que estão a desenhar sapatos, a criar marca e a dar passos firmes neste território.
Cá dentro e lá fora. Apenas escolhemos uma mão-cheia, em jeito de ilustração. Com maior ou menor notoriedade, com mais ou menos vendas, em início de projecto ou com anos na estrada. Todas juntas, não só reforçam o espírito empreendedor e empresarial, como confirmam que, mesmo aqui, as peles e os laços começam a ser cosidos e a dar forma a marcas no feminino!

É (tão-só) mais um passo!

Editorial publicado na edição n.º 263 da Revista Marketeer de Junho de 2018.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...