Já chegou o primeiro gin de flor de cânhamo português

O Benefício desvenda hoje aquele que se apresenta como o primeiro gin de flor de cânhamo português. É a mais recente edição limitada deste projecto, cuja missão é desenhar produtos exclusivos e assentes em processos artesanais e sustentáveis.

Depois de ter criado edições especiais de azeite, malas ou ginja, O Benefício aponta agora ao gin, tendo criado três variações. Herbal, Estival e Delicado. «A exploração de materiais e matérias-primas diferenciadores e cujo impacto ambiental seja positivo é algo que faz parte do ethos do Benefício e o cânhamo cumpre todas essas premissas, fruto não só da sua versatilidade mas também do baixo impacto ambiental da sua produção», explica Paulo Fernandes, co-fundador da marca.

O novo gin resulta de uma parceria com a Associação Nacional de Bebidas Espirituosas e a GinT (The Strongest Portuguese Gin), que ajudaram a compor a fórmula com base em zimbro e infusão de 10 botânicos. Segundo Tiago Sanches, da GinT, «ter um gin no qual o cânhamo – que é uma planta curiosa e com sabores muito herbáceos – desempenharia o papel de vocalista colocou desde logo um desafio muito enriquecedor». Isto porque seria necessário encontrar uma forma de compensar esta característica através da frescura e doçura.

De braços abertos para os NFTs

O lançamento da nova edição limitada coincide com a entrada d’O Benefício na economia virtual através do lançamento de NFTs, ou seja, activos digitais encriptados – tal como uma criptomoeda, por exemplo. Neste caso, a aposta vai para uma peça visual musical de 700 segundos, que tem como ponto de partida a expressão “C – 344 277 2 -5” nome de código da fórmula do novo gin.

«A entrada na nova economia virtual é estratégica para o Benefício, assim como a sustentabilidade é um valor único para a nossa marca, por isso só após termos encontrado uma solução que nos permitisse garantir um impacto ambiental justo para os nossos NFTs é que decidimos avançar», revela o também co-fundador Ricardo Nunes.

Os NFTs d’O Benefício chegam através da plataforma Mintbase, construída na rede de blockchain Near, neutra em termos de emissão de carbono. Na prática, a peça criativa construída em parceria com Tiago Castro e Nuno Gervásio será dividida em 100 momentos, cada um deles com setes segundos da música e da gravação a laser do endereço do NFT numa garrafa física.

«A utililização dos NFTs nos produtos é um passo para a concretização de uma ambição da nossa marca desde a sua génese, ou seja, que os nossos produtos tenham uma dimensão única, coleccionável e escassa, com vista a que o valor potencial dos mesmos aumente com o passar dos anos», acrescenta Paulo Fernandes. Esta é também uma forma de remunerar todos os profissionais envolvidos no processo e assegurar o pagamento de royalties no futuro.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...