Foco nas novas gerações

Há 80 anos, Américo Barbosa fundou no Porto a Ambar, uma empresa dedicada à encadernação. Hoje, a actividade da empresa engloba produtos para escritório, material escolar, gift, brinquedos científicos e pedagógicos e Fine Papers.

Foram quatro os momentos importantes para a evolução da marca. Em 2004, assume a designação AMBAR – Ideias no Papel, S.A., e arranca com uma estratégia baseada em três eixos: exportação, investigação & desenvolvimento e Marketing & Comunicação. A pensar no futuro, em 2010 a marca reorganiza as áreas de negócio em escola, escritório e gift. Com uma nova administração, em 2014, a marca aposta num novo posicionamento que lhe permitiu uma forte presença em todos os canais de distribuição nacionais e internacionais. Em 2017, apresenta a Ambarscience, uma nova área de negócio dedicada a brinquedos científicos e pedagógicos.

Em 2019, para assinalar o 80.º aniversário, a Ambar realizou a Conferência “Ideias no Papel”. Perceber o estado do sector, promover a discussão sobre a sua importância económica e desenhar o futuro do sector foram alguns dos objectivos traçados para a conferência.

Foi na década de 70 que a marca se virou para o mercado externo exportando para as antigas colónias (Angola, Moçambique, Cabo Verde e Guiné-Bissau). Nos anos 80 começariam as exportações para países europeus: França, Inglaterra e Dinamarca. Hoje, a marca tem 500 clientes activos em 25 países, com um crescimento de 30% ao ano.

Segundo José Ferreira, presidente da empresa, há actualmente «um muito maior potencial de valorização dos produtos da Ambar no mercado externo, cuja dimensão e rendimento “per capita” em muito superam o mercado português, que em 2015 representava 80 a 90% do volume de negócios da empresa». Desta forma a marca pretende aumentar dos actuais 40% para 60% o peso da facturação no exterior até 2021, apostando na Europa, PALOP e Emirados Árabes Unidos.

A diversificação dos segmentos de negócio foi outra das opções estratégicas da nova gestão da Ambar, que detectou um défice de imagem da marca nas gerações mais jovens e decidiu contorná-lo entrando num novo nicho de mercado: os brinquedos científicos e pedagógicos, com a “Ambarscience”. O objectivo é que este segmento represente 25% das vendas “dentro de dois ou três anos”.

Com uma facturação de 8,5 milhões de euros em 2018, mais do dobro dos quatro milhões de euros de 2015, a Ambar estima crescer a um ritmo percentual de dois dígitos nos próximos anos, apontando como meta, para 2019, os dez milhões de euros.

E sendo uma empresa com um forte sentido de responsabilidade social e consciência ambiental, em 2018 assumiu um compromisso com a implementação e manutenção dos requisitos do FSC e PEFC. Vai ainda lançar a Ambar Cycle, uma colecção com mochilas e estojos feitos com tecidos reciclados de plástico marinho, um material 100% reciclado com total rastreabilidade.
Foco

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Burnout: seis sinais de alerta a que deve estar atento
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift