Fado, slows e museu da Rua EDP do Nos Alive

Pela primeira vez, a EDP vai ter uma rua com o seu nome no Nos Alive. A Rua EDP, uma espécie de irmã da EDP Rock Street do Rock in Rio Lisboa, já está pronta para receber os festivaleiros e oferecer experiências diferente das habituais. Além de albergar o EDP Fado Café, que terá, como o nome indica, concertos de fado e ainda uma pista com slows, será também a casa de dois museus.

A Rua EDP recria o ambiente de uma típica rua portuguesa com direito a calçada e fachadas imponentes. Com cerca de 150 metros de comprimento, o espaço terá uma recriação da Central Tejo (antigo Museu da Electricidade) e ainda o Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), ainda em construção.

No caso da Central Tejo, os festivaleiros vão poder tirar fotografias com a ajuda de canetas luminosas e ainda visitar a exposição resultante do Trash Project do IADE. No MAAT, os óculos 3D são protagonistas: os visitantes podem utilizá-los para conhecer como será o futuro do museu, cuja abertura está prevista para Outubro.

A curadoria da Rua EDP está entregue à blogger Maria Guedes, conhecida como Stylista. As suas funções incluem partilhar diariamente pormenores dos diferentes espaços da rua e dar a conhecer curiosidades sobre o mesmo. Maria Guedes terá também uma loja com marcas como Canté, Carolina Curado e ByMarez.

«Espero guitarra portuguesa, fado a vários ritmos, vibração boémia e vadia, desprendimento de rua, o prazer de beber um copo e a alegria de fazer uma compra especial», conta a blogger em comunicado.

Na Rua EDP vão morar também um espaço da Cofina, Sociedade Ponto Verde, Casinha do Pão, merchandising de bandas, artesanato, acessórios, multibancos e ainda a uma loja Nos com pontos de carregamento de telemóveis.

Reveja aqui o cartaz do EDP Fado Café.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...