Cartão Contactless: Informações para Comerciantes e Clientes

MARKETEER CONTENTS

atingido níveis significativos de popularidade, em todo o mundo. As taxas de penetração ultrapassam mesmo os 80%, em alguns países, como Polónia, Austrália, Reino Unido e Canadá.

Esta inovadora tecnologia permite que se realizem operações presenciais de pagamento, somente por aproximação do cartão contactless ao terminal de pagamento automático (TPA), sem que exista necessidade de inserção do PIN. O cartão deve posicionar-se a uma distância inferior a 4 centímetros do terminal, sendo que este deve estar preparado para receber pagamentos via sistema contactless.

Pagamentos contactless são seguros?

A utilização do cartão via sistema contactless está sujeita a inúmeras medidas de segurança, entre elas a existência de limite de valor, tanto por transação como para um conjunto de pagamentos realizados consecutivamente. Geralmente, o máximo permitido pela entidade emissora, por cada pagamento contactless, ou seja, sem a necessidade de inserir o pin, é de 20 euros. Também é a instituição financeira que define o limite de valor para pagamentos consecutivos Em geral, este valor é de 60 euros, uma medida que para em caso de perda ou roubo, não permitir num determinado espaço de tempo, que sejam feitos pagamentos superiores ao valor total máximo definido, sendo solicitado o código PIN para posteriores retiradas de valor.

Pontualmente, também como medida de segurança adicional, pode ocorrer que lhe seja solicitada a introdução do código pessoal, mesmo que a transação não tenha ultrapassado os limites aqui referidos.

Como a realização de pagamentos contactless não obriga à inserção do código PIN, não irá precisar de inseri-lo em público, protegendo-o de eventuais olhares intrusivos. De igual modo, a inexistência de contacto direto com o TPA contribuí para que o cartão permaneça sempre na sua mão enquanto realiza a operação.

Como se verifica para os restantes cartões, um pagamento contactless apenas é processado após confirmação, por parte consumidor, do montante introduzido no TPA.

Comodidade, conveniência e rapidez

Uma clara vantagem em recorrer à tecnologia contactless relaciona-se com o facto de esta permitir que um pagamento se efetive integralmente em poucos segundos. O ato de segurar o cartão, e de o aproximar do TPA, processa-se de forma muito mais ágil, comparativamente aos métodos tradicionais de pagamento. Para além disto, a tecnologia dispensa a necessidade de impressão de recibo de confirmação de transação (salvo se tal for solicitado).

A facilidade e a segurança, que envolvem o uso do cartão contactless, incentiva o consumidor a transportar menor liquidez em carteira. Evita-se, assim, a preocupação de fazer levantamento em numerário e de “contar trocos”, aquando um pagamento de baixo montante.

Mais vendas (e mais rápidas)

Para o comerciante, também existem vantagens em equipar o seu estabelecimento com um terminal de pagamento automático preparado para aceitar operações contactless.

Como esta tecnologia permite que o pagamento se processe sem necessidade de introdução de PIN, apenas por rápida aproximação ao terminal, o tempo alocado a cada transação tende a reduzir. Assiste-se, assim, a uma maior eficiência de procedimentos, a eventuais menores filas de espera e, decorrente disso, reduz-se a possibilidade de desistência de compra.

Em relação a este último aspeto, também os ocasionais esquecimentos de código PIN, por parte do cliente, podem conduzir ao abandono da aquisição. Com um cartão contactless, se o montante em causa não exceder o limite definido, isso não acontece.

Como já referido, o sistema tem ganho popularidade, em especial no estrangeiro. Segundo dados de Março de 2019, publicados pela entidade Visa, em Portugal os pagamentos contactless aumentaram 22%, devido ao aumento significativo do Turismo.

Assim, aderir ao sistema contactless pode ser uma estratégia de captação do público turista, para alguns lojistas.

Algumas instituições financeiras em Portugal experientes neste tipo de tecnologia, como a Redunicre, permitem a adesão simples online e oferecem acompanhamento e assistência no processo de subscrição. A maioria dos terminais Redunicre já têm este sistema, e todos os comerciantes que pretendam aderir irão receber os terminais já com a tecnologia contactless.

Redução de custos, maior rendibilidade

Também na redução de custos os retalhistas saem beneficiados.

Possuir um TPA físico, preparado para aceitar transações contactless, significa menos intervenção dos lojistas para que uma operação se concretize, resultando na otimização dos recursos humanos. Como já referido anteriormente, os cartões nunca deverão sair da mão do cliente, nem que seja para uso contactless. O operador insere o valor e é o cliente que encosta o cartão ou insere o cartão, sem que este saía da mão do cliente (um erro comum por parte de clientes e comerciantes, o facto do cartão ser manuseado pelo operador).

Os pagamentos contactless não implicam, obrigatoriamente, a impressão de recibo de confirmação de pagamento (a menos que tal seja solicitado pelo consumidor), o que resulta em menos papel impresso e incremento de valor para o comerciante.

Para além destas vantagens, a tecnologia contactless incentiva à utilização do cartão para pagamento de pequenos montantes, melhorando níveis de gestão de tesouraria.

Para saber se tem um cartão contactless em casa, basta que confirme se este apresenta, do lado direito, o símbolo próprio que lhe é inerente: um sinal de rede muito similar ao ícone Wi-Fi.

Sendo a tecnologia contactless vantajosa para clientes e comerciantes, saiba que este cartão pode também ser utilizado em terminais que não estejam adaptados para o efeito (via introdução de PIN).

A tecnologia contactless é um passo inovador no futuro dos pagamentos. A adesão a este sistema pode ser tão simples e rápida quanto a sua utilização. Procure uma entidade credível, com possibilidade de adesão online, e passe a usufruir das inúmeras vantagens desta forma de pagamento.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Produção de carros em outubro quase nos 15%