3cket: quando os eventos cabem no pulso e a carteira pode ficar em casa

Imagine o seguinte cenário: festival de música ou evento de grandes dimensões e um só bilhete que se transforma em carteira virtual e que permite comprar seja o que for a partir de dinheiro digital. Os cartões ficam em casa e também não é preciso arranjar espaço no telemóvel para descarregar uma nova aplicação.

Em traços gerais, é esta a proposta da 3cket, tecnologia portuguesa que tem como propósito  tornar a experiência de qualquer evento mais confortável, tanto para promotores como para espectadores e participantes. A partir da mesma solução – que pode ser uma pulseira, um cartão ou uma credencial – é possível controlar acessos, efectuar pagamentos, realizar jogos ou aceder ao bengaleiro, por exemplo.

Desde que foi criada em 2017, a 3cket já foi utilizada em quase dois mil eventos em todo o País, incluindo em activações de marcas em festivais ou nas digressões do projecto Revenge of the 90s: foram emitidos mais de um milhão de bilhetes digitais e realizadas mais de um milhão de operações de pagamentos.

Contudo, entretanto, chegou a pandemia e foi preciso repensar o negócio, investindo em funcionalidades na área do controlo sanitário: a ideia é ajudar os promotores a criarem bolhas de segurança e a gerir os fluxos de entradas e saídas da melhor forma, nomeadamente através de pedidos de comida e bebida online. Basta encomendar via carteira digital e receber o pedido no lugar ou recolher no food corner, sem necessidade de ajuntamentos.

A 3cket apostou também numa solução que permite aos promotores de eventos aumentarem a audiência através da transmissão online e de ferramentas de interacção digital. Em entrevista à Marketeer, o responsáveis pela 3cket explicam que o processo tem sido de constante adaptação.

De que forma é que a pandemia afectou ou impactou o negócio?

A pandemia de Covid-19 trouxe uma paragem imediata do volume de negócios a partir do primeiro trimestre de 2020, quando os eventos foram cancelados na tentativa de travar a evolução da pandemia.

Sem expectativa de uma data realista para o regresso dos eventos ao vivo, a prioridade passou a ser preparar a 3cket para uma realidade desconhecida.

Adicionaram novas funcionalidades com a chegada da crise sanitária?

Esta alteração repentina no modelo de negócio levou a 3cket a desenvolver funcionalidades para poder dar resposta às novas necessidades do mercado.

Numa primeira fase, a única realidade possível foram os eventos online e a 3cket desenvolveu e lançou uma solução focada em eventos completamente online, com controlo de acessos e interacções digitais, para que os organizadores de eventos pudessem fazer uma transição simples e sem barreiras para esta nova realidade.

Numa segunda fase, com a redução das restrições de circulação, a 3cket passou a oferecer um produto focado em eventos drive-in e em eventos de lugares sentados, com controlo de acessos, gestão de filas e gestão de pedidos de comidas e bebidas com pagamentos digitais, apresentando-se como uma solução simples e de implementação rápida para os organizadores de evento sem necessidade de investimento.

Os participantes passaram a poder, a partir do seu telemóvel encomendar, pagar e receber uma bebida no próprio lugar sem esforço.

Actualmente, a 3cket disponibiliza aos eventos ferramentas de controlo sanitário e alarmística em caso de surto, de forma a criar recintos mais seguros.

No geral, consideram que a indústria dos eventos mudou para sempre devido à pandemia? De que formas?

A pandemia levou a que tanto organizadores de eventos como clientes despertassem para as tecnologias focadas em eventos, que simplificam o trabalho dos organizadores e que contribuem para uma melhor experiência para os participantes.

Desta forma, novas possibilidades foram desbloqueadas na área da digitalização dos pagamentos e na diminuição da utilização de pagamentos em numerário, melhorando significativamente a experiência dos participantes e a diminuição dos contactos físicos bem como contribuindo para uma melhor gestão dos eventos.

E como é que a 3cket pode contribuir para esta nova realidade?

A 3cket oferece soluções integradas para qualquer tipo de evento, permitindo que o organizador tenha na mesma solução tecnológica um serviço de bilheteira digital, controlo de acessos, pagamentos digitais e ainda todas as ferramentas de gestão e de análise de dados necessárias à realização de um evento, seja ele físico, online ou híbrido.

A tecnologia da 3cket digitaliza por completo toda a experiência do evento, tendo especial relevância nesta fase de pandemia em que a redução de contactos é essencial.

Quais serão os próximos eventos realizados com a plataforma 3cket?

Em Lisboa, espaços como o Monsantos Open Air ou o Village Underground, que recebem diariamente eventos, contam com a 3cket como ferramenta de gestão, a par de promotores como a Fuse Records ou a organização da Revenge of the 90s que planeia já o regresso das próximas tours.

Eventos como o festival gastronómico Chefs on Fire, em Cascais, ou o festival de música electrónica LISB-ON Jardim Sonoro, em Lisboa, planeiam também as próximas edições com base na tecnologia da 3cket.

A Sul, o Medusis Club, na Quinta do Lago, utiliza a 3cket na gestão diária e para receber eventos como R&B Sessions ou Swag On. Nas Ilhas, o festival Summer Opening, na Madeira, aguarda o regresso também ele com a 3cket.

A internacionalização faz parte dos planos?

A internacionalização faz parte da génese da 3cket, tendo esse plano sido colocado em stand-by com a pandemia. Os próximos mercados a explorar passam por Espanha e outras geografias relevantes na Europa.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...