Rui Simões vai «orquestrar criativamente» todas as disciplinas da By

Depois de ter estado em agências como Ativism, Euro RSCG, Nossa e, mais recentemente, O Escritório, Rui Simões assume a direcção criativa e a liderança da equipa de Brand Strategy & Copywriting da By.

Mostrando-se entusiasmado com a nova casa, em conversa com a Marketeer, Rui Simões conta qual foi o desafio que lhe foi proposto e revela-se ciente da responsabilidade, mas também das possibilidades deste projecto. Por outro lado, os partners da By, Rita Baltazar e Gonçalo Castelo Branco, contam que este profissional aporta à By, além da sua longa experiência no trabalho com as marcas, «uma capacidade de visão holística muito ajustada à abordagem de trabalho e entrega» que acreditam ser um passo estratégico para serem cada vez melhores.

Acompanhe a conversa com os três profissionais.

Dos trabalhos que fez até agora, em outras empresas, quais os que mais o deixam orgulhoso e porquê?

Rui Simões: Em vez de falar de trabalhos específicos, prefiro destacar marcas para as quais tive o prazer de trabalhar e que também me ajudaram a crescer: Público, Minipreço, Somersby, Microsoft, Carlsberg, Lidl, Benfica, Sumol, Galp, Audi, enfim, a lista é longa. Fiz coisas para todos que de alguma maneira me orgulho. Umas premiadas, outras não, mas todas me permitiram aprender coisas novas sobre o negócio de cada um, sobre o público e sobre maneiras de comunicar. Nesse aspecto, não tenho filhos preferidos.

Qual o desafio que a By lhe propôs que o fez deixar a anterior agência e abraçar uma nova oportunidade?

Rui Simões: Foram alguns. Em primeiro lugar, o de liderar uma equipa. É a primeira vez que vou assumir essa responsabilidade e achei que podia ser interessante pôr-me à prova também nesse sentido e aplicar o que aprendi nestes anos todos. Até porque fui um privilegiado por ter tido directores Criativos altamente inspiradores e de quem absorvi muito.

O outro desafio tem a ver com o potencial que existe na By. Pelos clientes que tem, pelas várias especialidades que consegue abarcar e por fazer parte do WYgroup, que tem outras agências que, sendo independentes, se podem aqui e ali complementar e interligar. Isso dá-nos uma liberdade e uma capacidade diferente para arriscar e, ao mesmo tempo, o conforto de saber que temos pessoas para ajudar na criação e na implementação das ideias, seja onde for.

Depois, claro, é o desafio que qualquer director Criativo enfrenta: fazer da agência onde está uma agência ainda mais criativa.

Quais os clientes que está mais ansioso para começar a trabalhar e porquê?

Rui Simões: Não posso responder a uma pergunta dessas, até porque ainda os estou a conhecer. A By é muito grande, tem muitos clientes. Claro que há marcas que, pelo nome ou pela reputação, à partida podem parecer mais aliciantes. Mas muitas vezes as mais pequenas ou menos conhecidas permitem ter uma liberdade criativa diferente, mais solta.

Quantas pessoas (e que valências) farão parte da equipa que vai liderar?

Rui Simões: Entro para liderar directamente a equipa de copys e estrategas, que por norma tem a responsabilidade de criar e definir os posicionamentos e os conceitos em cima dos quais as campanhas são construídas, e depois ajudar nessa construção. O nosso trabalho é garantir que o que é dito é bem dito e que o que é escrito é bem escrito, mas acima de tudo, que o que é pensado é bem pensado. Quanto ao número de pessoas desta equipa específica, contando comigo somos seis.

O trabalho será exclusivamente para o mercado nacional?

Rui Simões: Não exclusivamente. A maioria ainda será, mas a By está num processo de internacionalização que já conta com alguns clientes de outros mercados. E a ideia é aumentar esse portefólio.

Porque é que a By sentiu necessidade de reforçar a direcção criativa da agência?

Rita Baltazar e Gonçalo Castelo Branco: A By tem vindo a solidificar o seu percurso de crescimento em grandes projectos de comunicação de marcas.

Sentimos necessidade de encontrar uma liderança que combinasse a excelência criativa da ideia e a visão de futuro para a comunicação das marcas, que como sabemos, passa também por áreas que a By já incorpora como Customer Experience & Design, Technology & Engineering e Brand, Campaigns & Content.

O Rui reúne a capacidade de orquestrar criativamente todas estas disciplinas, e juntamente com as actuais lideranças, colocá-las ao serviço da comunicação das marcas.

Quais os objectivos traçados a Rui Simões?

Rita Baltazar e Gonçalo Castelo Branco: Liderar e elevar o critério criativo utilizando a complementaridade de ecossistemas da By e do WYgroup, privilegiando acima de tudo, a melhor ideia para cada marca ou projecto. Mas o mais importante de todos os objectivos é que o Rui se divirta e seja feliz neste novo projecto da sua vida, inspire toda a equipa e seja inspirado pelo espírito Byano.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...