Coronavírus: a pandemia e o digital

Por Marco Gouveia, consultor e formador de Marketing Digital, head of Digital Marketing no Pestana Hotel Group e Google Regional trainer

Enfrentamos o que, há dias, a Organização Mundial de Saúde declarou tratar-se de uma pandemia (Fonte: RTP). O coronavírus, como é designada a doença em causa, não tem dado tréguas. Além dos casos de pessoas infectadas em Portugal, milhares estão em quarentena, isolados nas suas habitações, voluntariamente ou por recomendação médica. Assim, com escolas, faculdades e espaços de âmbito cultural a fechar, profissionais a trabalhar a partir de casa, serviços a serem reduzidos aos seus mínimos de funcionamento, estabelecimentos de venda a restringirem a sua frequência e outras medidas a serem tomadas, conforme a evolução dos acontecimentos as justificam, os efeitos do coronavírus tornam-se cada vez mais evidentes nas várias dimensões das nossas vidas. Porém, já parou para pensar no impacto que o coronavírus terá no digital?

As medidas de contenção decretadas pelas entidades governamentais e de saúde nacionais visam, como sabe, a permanência da população no seu local de residência, o que implica que os profissionais exerçam as suas funções, sempre que possível, na sua própria casa. Por isso, o recurso a plataformas online, videochamadas e outras formas de comunicação e cumprimento de tarefas por via não-presencial aumentará, por conseguinte, nos próximos dias e semanas. Estas ferramentas constituem, inegavelmente, uma mais-valia trazida pelo digital, pelas suas maiores comodidade, praticidade e segurança, especialmente importantes num momento em que o nosso sentido cívico se estende muito para além do que a nós nos diz respeito. Esta é, portanto, ironicamente, uma oportunidade para pensar de que forma o seu negócio se poderá actualizar através do digital, no futuro, facilitando processos e melhorando, porventura, os níveis de produtividade de todo o corpo de profissionais da sua empresa. Para optimizar ao máximo o trabalho a partir de casa, recomendo, acima de tudo, que opte por ter um local apenas destinado ao trabalho, no seu lar, mantendo as suas rotinas dentro do possível. Por outro lado, e apesar de ser fantástica a maior descontração com que passará a poder pensar o vestuário que veste, opte, ainda assim, por algo que não o remeta para o lazer ou o descanso, mas que o inspire para trabalhar com eficiência e motivação. Pré-estabeleça, também, que horas destinará ao trabalho, às refeições e a momentos de outra natureza, comunicando-as à família e aos amigos, para que as mesmas possam ser devidamente tidas em consideração pelos seus entes queridos.

O recurso à Internet intensifica-se, pois, no seu todo, neste período de tempo cuja duração nos é, ainda, desconhecida: se já somos uma sociedade altamente dependente do online, com cerca de 4,45 mil milhões de utilizadores activos de Internet em todo o mundo (Fonte: Statista), com a pandemia do Covid-19, a audiência que as marcas conseguem atingir desse modo é ainda mais alargada. Se as prioridades se modificam, privilegiando-se fortemente os considerados bens essenciais, algo que está ao alcance de todas as marcas – independentemente da sua área de actuação – é a criação de conteúdo relevante. Chamo, aqui, a atenção para o real-time marketing: pense em que formas de conteúdo a sua marca se pode tornar pertinente, no contexto desta pandemia. Steven Taylor, professor e psicólogo na British Columbia University, afirma, em entrevista à BBC, que sentimentos como a ansiedade, a incerteza e a solidão prevalecem em circunstâncias de risco elevado como estas (Fonte: BBC), pelo que fazer com que os seus clientes se sintam, apesar de tudo, próximos e notem que a sua marca se preocupa com o seu bem-estar torna-se ainda mais crucial nestes tempos difíceis.

Por último, lembre-se de que o número de encomendas via e-commerce poderá aumentar substancialmente nos próximos tempos, tendo em conta que procuraremos reduzir as deslocações a lojas físicas e espaços comerciais ao estritamente necessário. Dito isto, verificar se o seu negócio não possui nenhum tipo de entraves neste campo e os processos de compra pela Internet se realizam de forma fluida e simples para o utilizador-consumidor é fundamental. Use este tempo para melhorar eventuais aspectos que careçam dessas qualidades: prometo que compensará.

Estes são dias de transformações profundas na vida de todos, mas a vida das pessoas não pára. Nós, enquanto marcas, podemos, apesar de tudo, recorrer ao que continua ao nosso alcance para continuar a servir os nossos clientes da melhor forma, adaptando-nos à mudança. O digital continua aqui, com todos os comportamentos nefastos a que tão recorrentemente assistimos mas, igualmente, como forma de nos ligarmos, de estarmos presentes, colmatando a ausência física. Usemo-lo com responsabilidade, relevância e generosidade e sairemos desta pandemia mais fortes do que nunca.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...