Confraria de Cascais: quando a renovação é para melhor

Há 12 anos que o Confraria tem porta aberta em Cascais. Ali, bem atrás do largo da igreja. Quando a minha filha era pequena e fazia ballet, todos os anos, antes das férias de Verão, havia apresentação de espectáculo aos pais e amigos. E todos os anos, enquanto os mais pequenos ensaiavam, íamos jantar à esplanada do Confraria. Quase como um ritual. Num espaço pequeno mas que acolhia e onde sabíamos que o que chegava à mesa não merecia reparos!

A minha filha já não faz ballet, mas eu voltei ao Confraria de Cascais neste final de Verão. E confirmei o que sempre soube: que ali se sabe fazer e servir do melhor sushi de fusão a que se acrescentam pratos de sabores quentes da América Latina!

Mas com diferenças. O confinamento obrigou a fechar portas, claro, mas também elevou o nível. A começar pela decoração que foi completamente renovada e hoje alinha pelo “irmão” Nikkei de Lisboa (em frente à Torre de Belém). Entre o tropical e o trendy, com iluminação mais controlada e a favorecer ambientes.  A ideia é que mesmo quem opte por se sentar na sala interior tenha a sensação de que está no exterior, rodeado por jardins verticais que contrastam com o azul das paredes.

Depois, os meses de porta fechada foram ainda aproveitados para cozinhar novos pratos que agora se servem, num cruzamento da gastronomia ocidental com a oriental. No total, foram mais de 10 os novos pratos que a equipa do Confraria desenhou, entre entradas, saladas, uramakis, niguiris e gunkans. “Da América Latina, a Confraria Cascais trouxe uma diversidade de ingredientes, como o peixe, marisco, batata e milho, que brilham em opções como o polvo olivo, um tártaro de polvo em molho de azeitonas sobre chips estaladiças, o tiradito salmão passion, confecionado com salmão, molho de maracujá e quinoa crocante, as inka gyosas, com molho de pimenta amarela peruana e parmesão, ou o uramaki acevichado, preparado com peixe branco, atum e abacate, banhados em molho de ceviche.” Experimentámos os dois primeiros e confirmámos que valeu a pena o tempo de confinamento!

Mas a cozinha japonesa também não ficou para trás e os mais que reconhecidos gunkans e niguiris voltam a ser reis da mesa. Em particular o gunkan foie gras, que junta a maçã e o foie gras caramelizado ao sabor salgado do atum; o gunkan belly salmon, onde é utilizada a barriga do salmão, o azeite trufado e o caju; o gunkan tako spicy, com salmão e tempura de polvo, finalizado com um picante molho caseiro; e o niguiri white fish, que combina peixe branco braseado, manteiga de trufa e broto de coentro.

Se estes são sabores que lhe são caros, já sabe onde os encontrar!

A Confraria Cascais tem capacidade para cerca de 67 pessoas. O horário de funcionamento é das 12h às 24h de segunda a quinta-feira e das 12h até às 02h em vésperas de feriados e de sexta-feira a domingo.

Texto de M.ª João Vieira Pinto

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...