CEO da Sampedro: «Acabo por beneficiar, indirectamente, da pandemia»

A Sampedro é uma das empreass de têxtil-lar mais antigas de Portugal, estando este ano a comemorar um século de história. Segundo o CEO Simão Gomes, era impensável planear para algo como a pandemia de Covid-19, mas a verdade é que o negócio vinha a crescer ao longo do tempo e, também por isso, 2020 acabou mesmo por ser um ano de bons resultados – nomeadamente, ao nível das exportações – apesar da crise sanitária.

«O ano começou com a carteira normal e quando começou a Covid, como nós não tivemos casos, continuámos sempre a trabalhar. Todos os meus colegas tinham anulações de encomendas, mas eu não tinha», conta Simão Gomes numa conversa com Maria João Vieira Pinto, directora de Redacção da Marketeer.

Segundo o CEO da Sampedro, receberam apenas pedidos para que a mercadoria não fosse logo enviada, pelo que a empresa não fechou portas. No início do Verão, a facturação já tinha recuperado e chegavam até novas encomendas, resultando no maior ano de vendas da empresa: «Acabo por beneficiar, indirectamente, da pandemia».

Acompanhe a conversa na íntegra, no vídeo em baixo, e saiba quais são os mercados mais importantes para a portuguesa Sampedro, bem como os planos da empresa cujo CEO considera que ser PME é sexy:

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...