A pandemia e o boom do e-Commerce em Portugal

Por Richard Torres, Sales director na Kwanko

Depois de ano e meio de pandemia, o panorama do mercado nacional mudou. E algo é certo: já não voltará a ser o mesmo da altura em que a Covid-19 não fazia parte do nosso vocabulário diário. Tendo isso em conta, quais são as principais tendências de mercado no pós-pandemia?

O ano de 2020 revelou-se muito desafiante a nível mundial, mas também no mercado português. Após um momento de pânico, em vários sectores, no mês de Março, o mundo parou, bem como o próprio mercado. Assistimos, logo aí, a uma rápida mudança: a aceleração do online, dando início a uma revolução do digital em pleno e que já se avizinhava, mas que agora impulsionou verdadeiramente.

Os hábitos dos consumidores mudaram devido ao encerramento das lojas físicas. A procura por produtos mudou, por isso, de palco. Consequentemente, houve, em Portugal, um boom de compras online, estimulando a actividade de muitos sectores. Nunca o e-Commerce registou uma afluência tão grande no nosso país.

As marcas precisaram de se adaptar muito rapidamente para responder aos novos hábitos, revendo as suas estratégias de marketing. Hoje, mais do que há dois anos, o marketing digital passou a assumir um papel mais preponderante e o investimento no online cresceu em grande medida.

O marketing de afiliação é uma das tendências para este pós-pandemia. Trata-se de um canal de marketing baseado em performance e revelou-se uma ferramenta muito útil nesta transição, contribuindo para a aceleração do crescimento online. Neste caso, as marcas só pagam consoante os resultados que obtiverem, seja em vendas, leads, cliques ou download de apps. Além disso, há outros benefícios, como a activação de novos canais de aquisição, como sites de conteúdo afinitário, email marketing ou influencer marketing & social ads.

Apesar de conhecermos, hoje, muito melhor o vírus da Covid-19 e estarmos um pouco mais adaptados às suas restrições, a verdade é que ainda demorará até voltarmos a um contexto mais perto do normal que antigamente conhecíamos. Apesar de as lojas físicas e os centros comerciais estarem novamente abertos, as medidas e restrições sanitárias continuam e a previsão é de que tal aconteça ainda por algum tempo.

Assim, é cada vez mais relevante continuar a direccionar a aposta no online e no marketing digital, já que os consumidores tendem agora a optar por alternativas. Tudo indica, por isso, que o e-commerce continuará a crescer em Portugal e, neste semestre, teremos já dois momentos importantes, Black Friday e Natal, a que as marcas deverão estar atentas e preparar uma estratégia direccionada. É por isso que é extremamente importante que as marcas se preparem, desde já, para estes dois eventos de forma a conseguirem obter a máxima visibilidade e que não percam o barco no final deste ano, que promete ser recordista em termos de vendas online.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...