Zara, Lego e Jogos Olímpicos poderão adoptar ColorAdd

Inditex, Swatch, Lego e Benetton serão as próximas “paragens” do designer português Miguel Neiva, em 2013, na divulgação do ColorAdd, um código universal de identificação de cores para daltónicos.

Como explicou o designer em entrevista à agência Lusa, citada pelo P3, as marcas escolhidas assumem-se como «nomes emblemáticos em que a cor é um factor de comunicação que as posiciona no mercado». Além disso, reforçou, a adopção do ColorAdd por estas insígnias seria um marco na promoção e impacto social do projecto, adianta a mesma publicação.

Importa lembrar que o ColorAdd está já implementado ou em vias de implementação em diversos sectores, desde a saúde, no Hospital de S. João, Hospital dos Capuchos e em fármacos hospitalares, aos transportes, com o Metro do Porto, passando pelo material didáctico, com os lápis de cor Viarco. Recorde-se ainda que o código está a ser usado, por exemplo, numa biblioteca em Mem Martins.

O ColorAdd tem vindo também a afirmar-se nos sectores do calçado e do têxtil, através da sua introdução nos sapatos da portuguesa Dkode e nas etiquetas de nomes nacionais como Blankpage, Zippy e Modalfa, que poderão ser vistas na próxima colecção Primavera/Verão.

«90% dos daltónicos precisa de ajuda para comprar roupa», afirmou Miguel Neiva na mesma entrevista. «Com a Zippy fizemos um catálogo com 1920 cores já referenciadas com o código, o que quer dizer que, amanhã, já estamos perfeitamente preparados para ir bater à porta de grupos como a Inditex ou a [United Colors of] Benetton, que são daqueles marcos que fazem todo o sentido».

De referir que, além da vertente comercial, foi criada uma ONG (Organização Não Governamental) para a implementação do projecto nas escolas nacionais, no âmbito de um trabalho, ainda em curso, com a Direcção-Geral da Educação.

Mas o ColorAdd já chegou também ao desporto, tendo sido utilizado nos jogos da CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa, pelo Instituto do Desporto de Portugal e pela secretaria de Estado do Desporto e Juventude. Nesse sentido, o designer Miguel Neiva tem em preparação um dossier, que proporá a adopção do ColorAdd nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Para garantir que são cumpridas a vertente institucional e o cariz social do projecto, que pretende contribuir para um mundo «mais inclusivo», conta Miguel Neiva, há licenças de utilização do código, nas áreas da educação e da saúde. Porque, no fundo, o objectivo é «massificar esta linguagem, que é inclusiva», defende.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio