Why Not Soda: a marca portuguesa de refrigerantes artesanais

Nils Schwentkowsi, Steffi Hunstock e Hendrik Raufmann são alemães mas escolheram Portugal para lançar uma marca de refrigerantes artesanais e biológicos. Designada Why Not Soda, a insígnia promete revolucionar os lineares de refrigerantes, apresentando-se como a primeira com produção artesanal em solo nacional.

O primeiro produto à venda dá pelo nome de Lemon’Mate e conta com limão, chá mate e cafeína na lista de ingredientes. Está disponível em mais de 80 pontos de venda na Grande Lisboa, Porto e região do Algarve.

«Quando chegámos a Portugal, percebemos que o movimento de refrigerantes artesanais ainda era muito residual e que não havia marcas portuguesas. Por outro lado, o impacto ambiental de importar este tipo de produto (que é, na verdade, 95% de água) é ridículo. Mesmo sem todas as condições desejáveis, encontrámos um parceiro – a Cerveja Vadia – que nos apoiou muito nesta aventura. Então decidimos “why not” produzi-lo em Portugal?”, conta Steffi Hunstock.

Além de biológica e artesanal, a Why Not Soda garante ser uma alternativa mais saudável para os fãs de refrigerantes. Por isso mesmo, a marca quer estar no maior número possível de espaços, desde supermercados a bares e restaurantes. Nils Schwentkowsi explica que estavam habituados a encontrar uma grande variedade em qualquer mercearia e que não encontraram esse cenário em Portugal: «Queremos criar um movimento de refrigerante artesanal aqui e esperamos que, em cinco anos, também tenhamos muitos sabores diferentes e artesanais para experimentar.»

Em Dezembro do ano passado, a Why Not Soda ganhou o prémio Non-Tech do programa de aceleração From-Start-to-Table, promovido pela Startup Lisboa com o apoio do Turismo de Portugal, Delta, Sociedade Central de Cervejas e AHRESP.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Outubro 2019
Automonitor
Já viu o novo ultracompacto 100% elétrico da Toyota?