Vitória de Portugal no Mundial resultará em 700 milhões de euros

Se Portugal vencer o Mundial, o impacto financeiro pode chegar aos 700 milhões de euros, ou 300 milhões de euros caso Portugal se fique pela presença na fase de grupos. As previsões sobre o impacto económico para Portugal da participação da Selecção no Campeonato Mundial de Futebol FIFA 2018 são do Gabinete de Estudos de Marketing para Desporto do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) e analisam dois cenários: no caso de a equipa liderada por Fernando Santos conseguir a vitória no Mundial, o retorno será próximo dos 700 milhões de euros, correspondendo a 65 euros por cada português e a 50 dias desde o estágio à comemoração; mas se não passar da fase de grupos, então o impacto económico ficará nos 300 milhões de euros, o que equivale a 32 euros por cada português e a 34 dias desde o início do estágio ao terceiro jogo da fase de grupos.

No primeiro cenário, o estudo mostra que a Selecção realizará os três jogos de estágio mais os sete jogos, traduzindo um impacto económico de 678 milhões de euros. Um valor distribuído pelas diversas fases, nas quais à medida que a competição avança, diminuem o número de jogos mas aumenta a atenção dos adeptos. Importa realçar que o impacto económico será diferente de acordo com o sucesso desportivo alcançado nesta fase da competição, nomeadamente, e em caso de vitória, estende-se temporalmente até ao dia da final da competição.

Os valores são resultantes do impacto de diferentes variáveis como o consumo em casa (35%), o consumo na restauração (15%), a publicidade (22%), as apostas online (6%) e o prize Money (6%).

No segundo cenário, caso a Selecção não consiga o apuramento para as eliminatórias seguintes, o resultado deriva do facto de Portugal realizar, no mínimo, três jogos relativos à fase de grupos, além dos três jogos na fase de estágio.

O estudo lembra ainda que a simples participação neste evento já resulta num impacto económico muito forte, nomeadamente de cerca de 127 milhões durante a fase de estágio e 198 milhões pela participação nos três jogos da fase de grupos. Neste contexto, os portugueses continuarão a acompanhar a competição, mesmo sem a participação da Selecção Nacional, o que somará um impacto económico de mais 10 milhões de euros. Neste caso, a análise decorre de áreas como o consumo em casa (43%), o consumo na restauração (18%), a publicidade (18%), as apostas online (6%) e as viagens de avião (6%).

As receitas do potencial impacto da participação de Portugal nesta competição irão contribuir, em qualquer dos cenários analisados, para impactar sectores como agências de publicidade, agências de meios, empresas de catering, transportes, hotelaria, cafés, restaurantes, segurança, limpeza, polícia, empresas de apostas, meios de comunicação social, gasolineiras, marcas desportivas, cervejeiras, hipermercados, entregas de comida ao domicílio, tabaqueiras, agências de viagens e hotelaria, entre muitos outros.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio