ViniPortugal inaugura nova sede em Lisboa

viniportugalA associação interprofissional do sector vitivinícola ViniPortugal inaugurou ontem a sua nova sede em Lisboa, nas instalações do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV). Com esta mudança, a associação pretende dar um novo impulso à marca Vinhos de Portugal, que este mês conta com uma ampla campanha de comunicação no Brasil.

A mudança de sede – anteriormente localizada em Torres Vedras -, que demorou cerca de sete meses, representa um esforço de articulação entre a ViniPortugal, o IVV e os órgãos públicos, como o Ministério da Agricultura ou o Turismo de Portugal. O objectivo é o de promover uma maior racionalidade no uso dos recursos, bem como uma maior eficácia na promoção da marca Vinhos de Portugal (ou Wines of Portugal) nos mercados internacionais. «Neste dia assinalamos um marco muito importante na associação entre o [sector] público e o privado» e um «virar de página na marca Vinhos de Portugal», afirmou ontem Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal.

A alteração era um desejo antigo da actual direcção, que tomou posse há cerca de um ano. «Após a criação da marca Vinhos de Portugal agora é necessário evitar a sua erosão ou banalização», justifica Jorge Monteiro, lembrando que «à medida que nos deslocamos para mercados mais longínquos e de maior dimensão temos de investir mais na comunicação da marca-país».

A inauguração da nova sede contou com a presença do secretário de Estado da Agricultura, José Diogo Albuquerque, que sublinhou que a mudança «representa um maior entrosamento entre a [marca] Vinhos de Portugal e o Estado, através da IVV».

Este mês, a ViniPortugal vai dar prioridade à comunicação da marca Vinhos de Portugal no Brasil. Nuno Vale, director de Marketing da ViniPortugal, destaca a presença portuguesa na ExpoVinis, a «maior feira de vinhos do Brasil», onde vão estar presentes mais de 50 produtores nacionais. Só este ano, cerca de um milhão de euros (de um orçamento global de sete milhões) serão destinados à promoção da marca Vinhos de Portugal naquele país, o que torna o Brasil o «segundo principal mercado em termos de esforço de promoção», revela à Marketeer Nuno Vale.

Em termos globais, as exportações do sector vitivinícola cresceram 16% no ano passado, em linha com a média de crescimento a dois dígitos nos últimos anos. De acordo com Nuno Vale, a criação da marca-país tem sido decisiva para estes resultados, pois «tem ajudado, sobretudo, a trabalhar os vinhos de Portugal a uma só voz, com uma identidade e comunicação única».

A ViniPortugal agrupa estruturas associativas e organizações de profissionais ligadas ao comércio (ANCEVE e ACIBEV), à produção (FENAVI e FEVIPOR), às cooperativas (FENADEGAS), aos destiladores (AND), aos agricultores (CAP) e às regiões demarcadas (ANDOVI).

Texto de Daniel Almeida

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo