Vinhos do Tejo abrem vindimas ao público

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo reuniu com os produtores e preparou um programa especial de vindimas, que permite a fãs e curiosos pôr as mãos na massa e perceber como se processa esta fase da produção de vinho. Visitas guiadas, trabalhos na vinha, pisa a pé e provas de vinho são algumas das actividades planeadas.

Por ordem alfabética, eis os produtores que decidiram abrir as suas portas e apostar em propostas de enoturismo na região do Tejo:

Adega do Cartaxo – São dois os programas disponíveis, de segunda a sexta-feira, para grupos de quatro a 12 pessoas. Uma das opções inclui oferta de almoço na Taberna do Gaio, t-shirt e chapéu de palha; a outra não. Em comum têm a visita à adega, zona de vinificação, linhas de enchimento, laboratório, salas de barricas, cave e armazém, bem como explicação sobre as vinhas e prova de vinhos comentada;

Casal Branco – Neste caso, o programa de vindimas realiza-se apenas no dia 24 de Agosto e tem por base a casta Fernão Pires. O regresso à adega faz-se em tractor, seguindo-se uma prova vínica comentada e almoço;

Casal das Freiras – Há passeio pelas vinhas, explicação do processo da vindima, visita à adega e às instalações. O programa culmina na pisa a pé em lagar e na prova comentada de três vinhos, na companhia de pão, azeitonas, queijos, fumeiro regional e compotas. Neste caso, está disponível em Setembro e/ou Outubro, consoante a vindima;

Companhia das Lezírias – A primeira proposta deste produtor inclui um piquenique no dia 8 de Setembro, dia em que será inaugurada a nova cave de barricas, apanha de cachos, pisa a pé e degustação do mosto de uva. A segunda proposta envolve pisa a pé, degustação, acompanhamento por um especialista e almoço piquenique de especialidade regional;

Falua – É em Almeirim que encontramos os vinhos Falua de João Portugal Ramos, cuja proposta passa por visita e prova de vinhos. A actividade destina-se apenas a adultos e requer um mínimo de 10 pessoas;

Fiuza – No caso da Fiuza, a proposta junta vinho e arte urbana, uma vez que a adega-galeria da marca conta com obras assinadas por três grafitters portugueses: Francisco Camilo, Ivo Smile e Slap. Visita guiada, prova de vinhos ou de mosto a fermentar completam a sugestão;

Quinta da Alorna – A Quinta da Alorna decidiu juntar-se à iniciativa da Comissão Vitivinícola Regional do Tejo mas não desenvolveu uma proposta concreta. Indica apenas que em tempo de vindimas, e durante todo o ano, os amantes do vinho, da natureza e da cultura ribatejana têm muito por onde explorar;

Quinta da Lagoalva – Por fim, surge um programa que inclui passeio pela vinha e visita técnica à adega, degustação de mostos, visita à cavalariça/picadeiro e à capela e, finalmente, prova de três vinhos. Decorre apenas entre 3 e 30 de Setembro.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Colaboradores da Altice caminharam pela Associação Acreditar
Automonitor
Carro do Ano 2020: Qual dos 24 candidatos irá suceder ao Peugeot 508?