Venda de equipamentos electrónicos subiu em 2016

Os portugueses compraram mais produtos de electrónica de consumo e electrodomésticos no ano passado, impulsionando um aumento de 3,4% face a 2015. Dados do painel da GfK indicam que a subida na venda de bens de consumo tecnológicos (BCT) é um sinal de retoma no mercado português, “em parte causado pelo maior dinamismo do sector Imobiliário”.

A conclusão da GfK deve-se ao facto de o crescimento ser especialmente notório na categoria referente a grandes electrodomésticos, que aumentou 8,1%. A reconstrução e vendas de casas terá contribuído para este resultado, bem como a substituição de artigos já antigos. Os secadores de roupa apresentaram o crescimento mais rápido do último trimestre do ano passado.

Os equipamentos de telecomunicações também subiram 6,7%, com destaque para a compra de smartphones e acessórios para os mesmos. A procura por phablets, por outro lado, continua a diminuir.

Na outra ponta da lista, com os piores desempenhos de 2016, encontram as categorias de fotografia e informática, com quedas de 10% e 5,1%, respectivamente. Relativamente a primeira, a GfK notou que há uma divisão entre os consumidores que abandonaram as câmaras fotográficas para usar os smartphones e aqueles que decidiram apostar mais na utilização de máquinas. Neste sentido, a procura por câmaras caiu mas cresceu a procura por lentes intermutáveis.

No caso da informática, a principal quebra verifica-se na compra de tablets, que desceu 25% em valor em relação a 2015.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Zmar tem novos directores para os Departamentos Comercial e de Marketing
Automonitor
Confirmado: Peugeot 508 Sport Engineered chega em 2020