Urban Nature quer levar snacks saudáveis à Europa

Depois de ter começado a conquistar os consumidores portugueses, a marca de snacks saudáveis Urban Nature, criada no final de 2018, prepara-se para entrar noutros mercados europeus.

Maria Villas-Boas, responsável pela marca, destaca a evolução da Urban Nature, congratulando-se pelo facto dos snacks da Urban Nature serem feitos de comida real, desmistificando a ideia de que o saudável não pode ser delicioso, recusando assim as dietas loucas, sacrifícios ou regras complicadas. «Não se usam jargões nem ingredientes que ninguém conhece. A missão assenta sob a convicção de que ter uma alimentação saudável é fazer as escolhas correctas e equilibradas – não abdicando de alguns momentos de gula», explica.

À Marketeer, Maria Villas-Boas faz um balanço do crescimento da empresa e desvenda os planos para a expansão internacional da marca.

Como tem vindo a evoluir o negócio da Urban Nature, especialmente desde que chegou à grande distribuição?

A entrada na grande distribuição tem vários papéis relevantes para o desenvolvimento da marca. O primeiro é o seu resultado directo – não só nas vendas, mas na possibilidade de cobrir de forma rápida e eficaz o território nacional, e assim chegar a quem ainda não nos tinha conseguido provar, ou claro, a quem ainda não nos conhecia.
Depois, permite-nos cumprir com a nossa missão: sermos uma marca acessível e conveniente – isto só acontece se estivermos perto de quem nos quer consumir de forma prática e nos seus habituais trajectos de compra.
Em terceiro, tem que ver com a credibilidade do produto e da marca. Funciona como uma bandeira de validação não só para consumidores finais, mas para clientes b2b. São vários os parceiros empresariais que esperavam este momento para então apostar na marca. Estes vão desde pequeno comércio, a máquinas de vending ou estações de serviço.
Por último dá-nos uma maior visibilidade internacional, sendo este um caminho que queremos potenciar.

Em que fase se encontra o processo de internacionalização da marca?

A internacionalização está no horizonte a curto prazo. Até ao final de 2019, a Urban Nature pretende estar presente em alguns países europeus. As negociações estão em cursos com países em que existem já hábitos de consumo enraizados no que toca a este tipo de opções. É para a marca um caminho natural no seu crescimento.

Como define o consumidor da Urban Nature?

A marca foi criada para um público alargado, apontando a todas as pessoas que estão conscientes de que é necessário fazer algumas alterações na sua alimentação, mas que não estão dispostas a consumir as alternativas que vão surgindo. Este público é maioritariamente caracterizado por mulheres, dos 25 aos 45, residentes em zonas urbanas, conscientes da sua alimentação no sentido da procura pela diminuição de açúcares e farinhas, que compram os produtos Urban Nature para seu consumo ou dos seus filhos com o objectivo de facilitar os seus dias atarefados.

Quais as metas a alcançar em 2019?

Os objectivos para este ano, o nosso primeiro, são maioritariamente ao nível da validação junto do consumidor português, através de parcerias de sucesso na grande distribuição. Mas também de outras estratégias que nos posicionam em locais de passagem como empresas ou estações de serviço, e assim fazer chegar a marca a cada momento do dia do nosso consumidor. E, em breve, vamos lançar mais uma variedade de produto.

Texto de Rafael Paiva Reis

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Trabalhar apenas 5 horas por dia. Há empresas a testar o modelo com sucesso
Automonitor
Motul e Suzuki Ibérica assinam parceria