Um ensino aproximado ao mundo empresarial

como estrutura da Faculdade de Ciências Humanas (FCH), a Escola de Pós-Graduação e Formação Avançada (EPGFA) promove um leque diverso de cursos e formações customizadas que actuam em diferentes áreas como a Comunicação Estratégica e Cultura Orga- nizacional, Marketing de Conteúdos, Comunicação e Transformação Digital, Economia e Empreendedorismo Social, Edição e Tradução, Educação e Formação e Arte e Cultura.

Nuno Goulart Brandão, novo coordenador da EPGFA, explica que o segredo do sucesso da Escola reside em agregar nas suas formações «o corpo docente da Faculdade e especialistas do mundo empresarial com o objectivo de acrescentar valor aos conteúdos programáticos oferecidos». Paralelamente, os cursos e formações da EPGFA estão alicerçados num «ensino de proximidade e acompanhamento directo, de modo a que possam desenvolver competências e aplicá-las em projectos e no dia-a-dia das empresas».

Com uma nova liderança, qual a estratégia da Escola de Pós-Graduações e Formações Avançadas da FCH para o próximo ano lectivo?

A estratégia que se visa seguir no imediato passa por trabalhar, em simultâneo, em três linhas de acção. A primeira passa por continuar a apostar em cursos que, nos últimos anos, têm tido uma grande procura, em áreas tão diferentes como o Marketing de Conteúdos, os Media Sociais, a Comunicação e Psicologia Positiva nas Organizações, o Livro Infantil e a Filosofia para Crianças, para mencionar alguns exemplos. Contamos com 13 pós-graduações, cinco formações avançadas e um curso de curta duração. Entre as novidades, destaco as pós-graduações em Comunicação em Saúde Pública, em Gestão de Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento, e em Psicologia do Sono, bem como as Formações Avançadas em Audiovisual: Produção, Distribuição e Consumos e em Gestão da Reputação e Comunicação de Crise. Na segunda linha de acção visa-se dar corpo a novos projectos que estão em fase final de desenvolvimento e que iremos oferecer a partir de 2020. Numa terceira linha de acção proporcionar às empresas formação à medida das suas necessidades e que podem ser desenvolvidas em conjunto com cada empresa.

E quanto a novidades na oferta da EPGFA, o que pode destacar ao nível de pós-graduações?

Entre os cursos novos, com candidaturas já abertas, destaco as pós-graduações em Comunicação em Saúde Pública, em Gestão de Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento, e em Psicologia do Sono. Com início neste mês de Setembro, a pós-graduação em Comunicação em Saúde Pública é um programa multi e inter-disciplinar que visa potenciar competências de comunicação em profissionais de saúde (ou outros) que estejam ou pretendam estar na primeira linha de contacto com os cidadãos e que tenham de lidar com questões que envolvam o bem-estar das pessoas. É fundamental o incremento da literacia e numeracia em saúde, fundamentada numa comunicação eficaz para e com os cidadãos, baseada na evidência.

Já a pós-graduação em Gestão de Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento, com início em Outubro, visa contribuir para o desenvolvimento de competências na área da gestão de projectos de cooperação e educação para o desenvolvimento, capaz de responder às necessidades manifestadas por profissionais e agentes da cooperação para o desenvolvimento, mas também por entidades públicas, privadas e da economia social. Escasseiam em Portugal ofertas formativas que se centrem na gestão destes projectos e, não sendo uma área nova, é cada vez mais premente.

A pós-graduação em Psicologia do Sono vem responder a uma necessidade específica de capacitar técnicos do terreno, nomeadamente psicólogos, para uma intervenção científicamente fundamentada nos estudos mais recentes sobre o sono, bem como no domínio da educação, avaliação e tratamento dos seus distúrbios.

Mas há também novidades ao nível das formações avançadas…

Posso adiantar duas novas ofertas, ambas bastante actuais e inovadoras. Teremos uma formação em Audiovisual: Produção, Distribuição e Consumos e outra em Gestão da Reputação e Comunicação de Crise.

A formação avançada em Audiovisual decorre de uma parceria com a Associação de Produtores Independentes de Televisão (APIT) Televisão e o Grupo Impresa e tem início marcado para Outubro. Esta formação não podia ser mais actual dado o panorama audiovisual, marcado pela digitalização e pelo surgimento de novos players no mercado de produção e distribuição de conteúdos media. A última novidade é a formação avançada em Gestão de Reputação e Comunicação de Crise, com início marcado para Janeiro de 2020, destinada a profissionais de Comunicação, Marketing ou Recursos Humanos e em especial profissionais integrados em consultoras ou agências de comunicação e relações públicas.

Quem são os principais destinatários dos programas da Escola?

A acção formativa da EPGFA pretende atingir quatro tipos de destinatários: recém-graduados; profissionais de diferentes áreas profissionais que necessitam de adquirir competências diferenciadas e específicas que os ajudem a uma maior adaptação e integração no mercado de trabalho; quadros intermédios; e dirigentes. A oferta formativa é construída em função das especificidades de cada tipo de destinatários sejam eles do campo empresarial ou estudantes que queiram continuar os seus estudos. Temos alunos que tiraram mestrado e procuram depois as nossas ofertas formativas para desenvolvimento de outras competências, bem como quadros e dirigentes de empresas que procuram novos campos do saber académico para depois os poderem reflectir e aplicar. Por último, potenciamos também as formações à medida de cada organização. Criamos formações específicas à medida de cada empresa, sejam formações avançadas ou módulos de curta duração.

De que forma procuram adaptar as metodologias de ensino a estes diferentes destinatários?

As metodologias de ensino são sempre adaptadas aos diferentes destinatários, bem como as próprias modalidades de avaliação. Por isso, além das tradicionais pós-graduações com avaliação específica em cada unidade curricular, temos formações que privilegiam o desenvolvimento de projectos práticos de aplicação dos conhecimentos globais apreendidos no curso. Temos tido casos de grande sucesso na aplicabilidade de estudos aplicados às organizações que os formados visam estudar, o que traz mais-valias desenvolvidas por esses formandos para as empresas onde trabalham.

A aplicabilidade empresarial é a principal mais-valia para quem frequenta os vossos programas?

Sim, para além do desenvolvimento de competências específicas sobre uma determinada área do saber e a sua aplicabilidade empresarial, os nossos programas formativos interligam diferentes disciplinas o que traz enormes mais-valias para os formandos e respectivas empresas e organizações. Em comum, todos os nossos cursos preparam os formandos para dar resposta aos actuais desafios, tendências e oportunidades do mercado empresarial.

Foi nomeado recentemente para a coordenação da Escola. Qual a principal ambição desta nova fase?

Pretendo aproximar ainda mais a Escola do mundo empresarial, ora com projectos que sentimos que poderão desenvolver novas competências académicas e técnicas para o mercado, ora com projectos que as empresas sintam necessidade de desenvolvimento e nos procurem para lhes dar resposta adequada. Procuramos desenvolver continuamente formações académicas de excelência com um cunho inovador e assentes em valores que ajudem ao desenvolvimento e reforço de boas práticas empresariais.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Produção de carros em outubro quase nos 15%