Sonaecom com lucros de 63,9 ME até Setembro

A Sonaecom, braço de telecomunicações do Grupo Sonae, atingiu nos primeiros nove meses do ano um resultado líquido de 63,9 milhões de euros. Um crescimento de 12,5% face a igual período do ano anterior, que contrasta com o actual cenário do mercado, que continua a deteriorar-se.

O EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) consolidado aumentou em 6,0% para os 191,1 milhões de euros o que, como informa a empresa no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), compensou “a tendência de queda do volume de negócios consolidado, com todas as áreas de negócio a apresentarem uma evolução positiva no EBITDA entre os dois períodos.” De facto, o volume de negócios consolidado cifrou-se nos 617,0 milhões de euros, uma quebra de 5,1% comparativamente a igual período de 2011. Ainda assim, as vendas no terceiro trimestre cresceram 2,7%, face ao segundo trimestre de 2012. Uma melhoria que beneficiou de um incremento do volume de negócios da operação móvel da Optimus, que cresceu em 4,6% em relação ao trimestre anterior.

Optimus reforça EBITDA

Nos primeiros nove meses do ano o EBITDA da Optimus cresceu 5,0%, atingindo os 187,8 milhões de euros, apesar da expectável quebra no volume de negócios, que alcançou os 538,3 milhões de euros. Face a igual período do anterior exercício o EBITDA do negócio móvel aumentou em 4,8%, para 76,7 milhões de euros, impulsionado pela diminuição de 14,5% nos custos operacionais.

Já no negócio fixo o volume de negócios foi de 161,7 milhões de euros, o que denuncia um decréscimo de 1,1% quando comparado com o período homólogo do ano anterior. Fruto do desempenho das receitas e dos custos, o EBITDA no negócio fixo aumentou 10,2%, para 11,1 milhões de euros nos primeiros nove meses.

Rentabilidade da SSI cresce 43,7%

A divisão de Software e Sistemas de Informação (SSI) registou «um importante incremento de Rentabilidade» nos primeiros nove meses do ano, adianta a Sonaecom na mesma missiva. Este braço de negócio prosseguiu, ainda, a sua aposta no reforço da internacionalização. No período em questão o EBITDA do negócio de SSI cresceu em 43,7% para 7,2 milhões de euros, devido às maiores receitas de serviços e menores custos operacionais.

A WeDo Technologies continuou a expandir a sua presença internacional, tendo crescido para além do sector das telecomunicações. A empresa reforçou a sua posição no segmento de retalho no passado mês de Julho, com o anúncio de dois novos clientes na Europa e nos EUA.

Actualmente, a companhia liderada por Rui Paiva tem em carteira mais de 150 clientes, em 80 países. Nos primeiros nove meses de 2012 as receitas internacionais da empresa cresceram em 4,8% face ao período homólogo do ano passado, e representaram 73,3% do volume de negócios total. No mesmo período, as receitas da WeDo Technologies fora do sector das telecomunicações aumentaram cerca de 80%.

A Mainroad, empresa especializada em IT management, aumentou as suas receitas de serviço em 2%, e o EBITDA em mais de 55,9%.

Já a Bizdirect registou uma quebra no volume de negócios, devido ao final do programa e-iniciativas e ao ambiente macroeconómico. Ainda assim, conseguiu reforçar a sua posição na comercialização de soluções multimarca de equipamentos de IT, e aumentou o nível de receitas internacionais em 11,6%, em relação ao mesmo período do ano passado.

A Saphety, companhia que se dedica a soluções de simplificação e automatização de processos nas empresas, aumentou a sua base de clientes através da internacionalização, apresentando 12,1% das receitas em mercados externos.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio