Snapchat: sobem as receitas, descem os utilizadores

Começou por recusar por completo a exibição de anúncios mas, hoje, o Snapchat está repleto de publicidade – tal como as restantes redes sociais. Contudo, o aumento do número de anúncios parece ter uma ligação directa com o recuo do número de utilizadores.

De acordo com os mais recentes resultados trimestrais revelados pelo Snapchat, a receita subiu 43% para 298 milhões de dólares (aproximadamente 261 milhões de euros). Além disso, a companhia por detrás da rede social antecipa receitas publicitárias recorde para o quarto trimestre: poderão chegar aos 380 milhões de dólares (333 milhões de euros).

Por outro lado, verifica-se uma quebra nos utilizadores diários. No final do terceiro trimestre, a base de utilizadores não ia além dos 186 milhões, abaixo dos 191 milhões registados no início do ano.

Rich Greenfiel, analista de media da BTIG Research, acredita que o problema poderá estar na qualidade dos anúncios presentes no Snapchat. Citado pela AdAge, o profissional indica que a rede social passou de um modelo de vendas directas para péssimos anúncios com base em programática.

Rich Greenfiel critica também a reformulação do Snapchat, no início do ano, que levou à abertura da secção Discover a influenciadores e marcas de todos os tipos. Até aí, apenas um grupo seleccionado de parceiros, como a Universal, Viacom e The New York Times, podiam partilhar conteúdos. O resultado? Um ambiente de clickbait com publicações de fraca qualidade, segundo o analista.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Luís Urmal Carrasqueira: «É preciso aprender a desaprender algumas coisas»
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva